Cosme Rímoli Com expulsão absurda, Palmeiras perde. Atlético dispara na liderança

Com expulsão absurda, Palmeiras perde. Atlético dispara na liderança

Bruno Arleu de Araújo, cometeu um erro fatal. Patrick de Paula escorregou e mal atingiu Jair, que fingiu dor. O juiz o expulsou. Aos 34 do primeiro tempo. O Atlético aproveitou. Venceu por 2 a 0. Líder absoluto

  • Cosme Rímoli | Do R7

A expulsão absurda de Patrick de Paula. Volante escorregou. E árbitro deu cartão vermelho

A expulsão absurda de Patrick de Paula. Volante escorregou. E árbitro deu cartão vermelho

Reprodução/Premiere

São Paulo, Brasil

Bruno Arleu de Araújo sabotou o Palmeiras.

O árbitro da Federação Carioca de Futebol, militar de profissão, cometeu um erro imperdoável, hoje à noite, no Mineirão. E que estragou o confronto entre o primeiro colocado diante do segundo do Brasileiro.

Aos 34 minutos do primeiro tempo, Patrick de Paula vai dividir com Jair. O volante do Palmeiras escorrega e, atinge de leve, o volante do Atlético, que decidiu fazer sua homenagem aos grande atores deste país, e rola, fingindo dor. O juiz foi enganado. 

E deu o segundo cartão amarelo, absurdo, para Patrick de Paula. Como foi o segundo amarelo e não o vermelho direto, o VAR não pôde entrar em ação. Mostrar a situação surreal. E o Palmeiras ficou com um jogador a menos. Abel Ferreira não se aguentou e foi expulso.

Na partida entre dois dos três melhores elencos do país, o terceiro é o Flamengo, ter um jogador a mais desequilibra. Ainda mais porque Cuca decidiu escalar seu melhor time, para ampliar a liderança, para tentar vencer o Brasileiro, como é o sonho dos dirigentes, para acabar com o jejum de 51 anos. Abel Ferreira havia decidido poupar titulares, pensando no confronto contra o São Paulo, pela Libertadores, na terça-feira.

Savarino se aproveitou muito bem da pressão atleticana. Marcou os dois gols do jogo

Savarino se aproveitou muito bem da pressão atleticana. Marcou os dois gols do jogo

GUSTAVO RABELO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 14.8.2021

Com essa ajuda involuntária de Bruno Arleu de Araújo, o Atlético teve espaço por 60 minutos, com um a mais, para impor seu jogo. E venceu de forma avassaladora o Palmeiras. Foram 12 arremates do clube mineiro contra apenas um da equipe paulista.

Os gols foram do time de Cuca, os dois de Savarino.

Foi a nona vitória consecutiva do Atlético no Brasileiro.

E a vantagem diante do Palmeiras saltou para cinco pontos.

Se o Fortaleza vencer amanhã o Santos, o time cearense assume a vice liderança, empurrando o Palmeiras para a terceira colocação.

Para completar a alegria atleticana, como o blog antecipou, Diego Costa confirmou que será o novo reforço do time mineiro.

A partida começou com os dois times deixando muito claras suas estratégias. Abel Ferreira outra vez montou o Palmeiras para contragolpear, ainda mais depois de optar por poupar jogadores fundamentais como Rony, Zé Rafael, Raphael Veiga, Dudu, Luiz Adriano, Marcos Rocha, Luan.

Cuca pensou exatamente o contrário. Decidiu colocar seu melhor time. Encarou o jogo como uma decisão. Queria os três pontos de qualquer maneira contra o segundo colocado. Preparou seu time para sufocar o Palmeiras.

Marcava pressão o tempo todo. O time de Abel seguia sofrendo, marcando forte, de forma intensa, esperando um vacilo para contragolpear.

Bruno Arleu de Araújo cometeu um erro inacreditável. O Palmeiras foi muito prejudicado

Bruno Arleu de Araújo cometeu um erro inacreditável. O Palmeiras foi muito prejudicado

Cesar Greco/Palmeiras

O jogo estava empolgante. Até que chegou os 34 minutos e o juiz cometeu o inacreditável erro de expulsar Patrick de Paula, depois dele escorregar e mal tocar em Jair. Como Bruno Arleu de Araújo, que cometeu o absurdo de mostrar o segundo cartão amarelo, triste foi a omissão dos auxiliares, do quarto árbitro, já que o VAR só pode ser acionado, em caso de erro por cartão vermelho direto. Havia dois auxiliares e o quarto árbitro para avisar do escorregão. Mas eles se calaram. 

Abel Ferreira não se conteve e xingou no banco de reservas. Ele sabia o que iria acontecer. Seria expulso mais uma vez e o Atlético Mineiro tomaria conta do jogo.

Depois da partida o treinador palmeirense garantiu que foi o bandeira Rodrigo Correa que levou o árbitro ao erro. Avisando da falta inexistente de Patrick de Paula. 

O Palmeiras recuou de vez. Ficou no esquema que Carlos Alberto Parreira garantiria que chegaria. Quando não há qualquer jogador no ataque. O time paulista queria terminar o primeiro tempo segurando o 0 a 0. E atuava no 5-4-0. Já o Atlético subia suas linhas. Jogava no 4-3-3.

E no último lance do primeiro tempo, Wesley não ajudou a defesa como deveria. Em um cruzamento de Guilherme Arana, Savarino entrou por trás da zaga, sem a marcação do atacante palmeirense que parou na jogada, e tocou para as redes de Weverton. Aos 48 minutos.

No intervalo, João Martins, auxiliar de Abel Ferreira, que comandava o time com o cartão vermelho do treinador, também foi expulso por reclamação.

No segundo tempo, o Palmeiras trocou jogadores ao atacado. 

Saíram Willian, Gustavo Scarpa, Verón, Wesley e Gustavo Scarpa. Entraram Luan, Zé Rafael, Rony e Danilo Barbosa.

Só que nada adiantaram as trocas. O Atlético Mineiro manteve seu ritmo, sua postura agressiva e, mais importante, um jogador a mais. Seguiu encurralando, tratando o Palmeiras como se fosse um time pequeno. Cuca queria o segundo gol para poupar seus jogadores para a partida contra o River Plate, pela Libertadores.

Savarino marcou seu segundo gol. E seu joelho esquerdo acertou a cabeça de Weverton

Savarino marcou seu segundo gol. E seu joelho esquerdo acertou a cabeça de Weverton

Reprodução/Premiere

E ele veio. Aos 16 minutos, Guilherme Arana cruzou rasteiro e Savarino entrou muito rápido, se antecipou a Weverton. E marcou 2 a 0. No lance, ele atingiu, involuntariamente, o goleiro palmeirense, na cabeça. Ele teve de ser substituído.

Com 2 a 0 para o Atlético, o jogo estava decidido.

Com a vitória garantida, Cuca poupou seu time.

E comemorou a liderança.

Ao Palmeiras restou lamentar o erro da arbitragem.

A expulsão injusta sabotou o planejamento de Abel...

Últimas