Cléber, Aguilar, Cuevas. Processos na Fifa encurralam Santos

A Fifa já impede o clube de registrar novos jogadores. Por não pagar os atletas que compra. Hamburgo e Atlético Nacional processam o Santos por calote

Cueva. Outro péssimo negócio feito pelo Santos. Deve R$ 26 milhões pelo jogador

Cueva. Outro péssimo negócio feito pelo Santos. Deve R$ 26 milhões pelo jogador

Santos

São Paulo, Brasil

O Santos queria ter mantido Jorge Sampaoli.

Assim como segurado Gabigol e Jorge Henrique.

Como ter buscado reforços importantes em 2019, 2020.

Mas o clube está atolado em dívidas.

São mais de R$ 200 milhões.

Vieram de péssimas administrações.

E das dificuldades de um clube que fica no litoral paulista, com um estádio ultrapassado, encalacrado entre casas e edifícios.

A quarta torcida de São Paulo, não atrai patrocínios grandes.

Assim como as cotas de tevê não são as maiores.

Mesmo vendendo jogadores caríssimos como Robinho, Neymar, Gabigol e Rodrygo, as contas não fecham.

A situação vem se complicando ao longo dos anos.

A ponto de o clube estar passando por grave problema.

Por não pagar o zagueiro Cléber, comprado em 2017, junto ao Hamburgo, a Fifa decidiu não aceitar mais registro de jogadores pelo Santos. Enquanto não pagar os  R$ 17,5 milhões que ainda deve ao clube alemão.

A CBF determinou o bloqueio, no início do mês passado.

A situação só piora.

O Atlético Nacional entrou com uma ação na Fifa, também por calote. 

O clube colombiano cobra 1,1 milhão de dólares, R$ 5,7 milhões, pela metade dos direitos do zagueiro Felipe Aguilar. A compra foi feita em janeiro de 2019.

Com juros, a dívida já é de R$ 7,8 milhões.

Aguilar já foi até vendido ao Athletico. O clube paranaense pagou R$ 10 milhões pelo zagueiro. O que revoltou ainda mais a direção do Atlético Nacional, que buscou a Fifa contra o Santos.

Há ainda o caso do peruano Cueva.

Ele já está jogando no Pachuca.

Alegou falta de pagamento.

Aguilar foi repassado ao Athletico. Revolta dos colombianos foi parar na Fifa

Aguilar foi repassado ao Athletico. Revolta dos colombianos foi parar na Fifa

Athletico Paranaense

O Santos não pagou os R$ 26 milhões pelo meia, que combinou com o clube russo Krasnodar.

Os europeus vão esperar o resultado da ação que o Santos move contra o jogador e o Pachuca.

Se perder, a situação pode se complicar mais ainda.

A Fifa prevê rebaixamento para clubes que não conseguem pagar suas dívidas.

A pandemia veio para complicar ainda mais a vida do Santos.

Sócios-torcedores estão deixando de pagar suas mensalidades.

O clube faz uma campanha desesperada, aceitando 50% do valor que normalmente é cobrado.

Mesmo assim, o dinheiro não está chegando.

A situação do Santos é muito delicada...