Cosme Rímoli 'Chorei muito, sozinho, em São Paulo. Mas venci.' Exclusiva com Márcio Canuto. O homem, por trás do personagem

'Chorei muito, sozinho, em São Paulo. Mas venci.' Exclusiva com Márcio Canuto. O homem, por trás do personagem

Os 77 anos nada significam. Márcio Canuto se impôs ao tempo. Jornalista desde os 16 anos, esse alagoano revolucionou a linguagem da tevê. Quebrou padrões na Globo. Trouxe seu entusiasmo à RecordTV. 'Tenho fome de viver'

São Paulo, Brasil

O tempo virou detalhe na vida deste alagoano.

77 anos, na certidão de nascimento, nada significa.
Ele quer projetos, convites para trabalho, para propagandas.
Almoços, jantares.
Ir para shows de rock, que adora.
Abraços.

Ele gosta de 'gente', como sempre repete.
Luiz Márcio Aciolly Canuto é jornalista desde os 16 anos.
Inteligente, ousado, atrevido, conseguiu fazer uma carreira impressionante.
Virou editor-chefe da Gazeta de Alagoas, correspondente do Jornal da Tarde, no seu auge.
Comandou a Rádio Gazeta.

Foi para a televisão.

"Misturei a apuração do jornal com a linguagem popular do rádio. Nem imaginava em trocar Alagoas, onde tinha minha vida definida, e muito confortável, pela loucura que é São Paulo.
"Tinha 56 anos quando o comando da Globo me chamou para trabalhar na capital paulista, depois das matérias que fiz em Alagoas. Principalmente, a que chamou a atenção foi a com o Jacozinho, quando obriguei até o Maradona a cumprimentá-lo.
"Pensei: 'eu vou'. Foi uma loucura, eu sei. Com 56 anos... Mas fui.
"Chorei muito sozinho no meu flat.
"Era solidão, saudade da família, dos amigos.
"Prometi a mim mesmo que iria vencer.
"Pedi a Deus.
"E venci."
Márcio Canuto quebrou todos os padrões da tevê.
Falando alto, abraçado, empurrando, brincando.
Impôs sua linguagem, a maneira de se comunicar, de falar, de maneira direta, com a população.
O sucesso foi imediato.
Seu calor humano quebrou costelas de Galvão Bueno, em um abraço.

Também ganhou um buraco no braço direito ao montar um touro de rodeio.

Canuto ficou 21 anos direto no ar, quando decidiu se aposentar.
"Fiz o que ninguém fez na Globo. Me aposentei ao vivo, no ar. Todo mundo na emissora chorou. Foi muito tocante, emocionante. Nunca tinha acontecido isso por lá."
21 de julho de 2019.
Mas Márcio acabou voltando atrás em 2022.
"Veio o convite da Record e tratei de aceitar. Retornei ao futebol, que mudou a minha vida. Estou muito feliz com o mundo novo que se apresentou para mim."
Além de participar das transmissões do Campeonato Paulista, Canuto virou garoto-propaganda, e tem planos para a Internet.
Não tem sossego.
Não quer sossegar.
"Detesto ficar parado. Vou para shows de rock. Fui para os Estados Unidos para assistir ao U2. Estou indo sempre para teatro, jantares, almoços com amigos. Amo Alagoas, mas me apaixonei pela vida caótica de São Paulo.
"Tenho muita fome de viver...

A entrevista completa está no canal do Cosme Rímoli, no YouTube.

Uma lição de vida.

No canal há exclusivas, com personagens do esporte, todas as semanas.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas