Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Cosme Rímoli - Blogs
Publicidade

Castigo terrível para Glover Teixeira. Aos 42 anos, tinha a vitória nas mãos. Perdeu o cinturão faltando 28 segundos para o fim

Depois de uma guerra impressionante, Glover Teixeira tinha a vitória nas mãos. Mas o tcheco Jiri Prochazka, 13 anos mais novo, surpreendeu com uma finalização no fim da luta. O brasileiro foi aplaudido de pé, em Cingapura

Cosme Rímoli|Do R7 e Cosme Rímoli


Luta espetacular de Glover Teixeira, 42 anos. Perdeu o cinturão faltando 28 segundos
Luta espetacular de Glover Teixeira, 42 anos. Perdeu o cinturão faltando 28 segundos

São Paulo, Brasil

As quinze mil pessoas que foram ao Singapore Indoor Stadium aplaudiam de pé Glover Teixeira.

A reverência era muito maior do que a que foi feita a Jiri Prochazka, novo campeão dos meio-pesados do UFC.

E com razão. Aos 42 anos, o brasileiro Glover fez uma luta fantástica, incrível, teve várias chances de derrotar Procházka, de 29 anos. 13 anos mais jovem.

Publicidade

O mineiro protagonizou uma guerra sangrenta, que entrou para a história do UFC.

A batalha teve direito a trocação aberta. E, no chão, os dois se revezando na montada, desferindo socos, cotoveladas. Glover teve quatro chances de finalizar Prochazka, na sua especialidade, a submissão. Por três vezes o mata-leão esteve para ser concluído, mas o tcheco soube se defender.

Publicidade

E na quarta, a mais impressionante, Glover quase encaixou o katagatame, no quarto assalto. Mas com muita técnica, Prochazka conseguiu suportar a pressão, o peso do brasileiro no seu pescoço, e escapou.

Leia também

Muito violento, preciso nos seus socos, cruzados e diretos e se aproveitando da maior envergadura, o tcheco espancou o brasileiro no segundo assalto. E quando parecia que viria o nocaute, Glover levou a luta para o chão. Montado, mostrou seu afiado ground and pound. Com cotoveladas fortíssimas, abriu o supercílio esquerdo do rival.

A luta seguia imprevisível. Com Glover usando o jiu-jitsu, mas não fugindo da trocação. O tcheco era melhor no combate em pé. Mas, com a guarda baixa, tomou inúmeros socos do brasileiro. Principalmente no quinto assalto.

A luta se encaminhava para o brasileiro. Por conta das quedas que aplicou em Prochazka, capazes de dar mais pontos que a desvantagem de Glover na luta em pé.

Glover nem parecia que tinha 42 anos. A vontade era imensa em manter o título. Ele já tinha enfrentado situações muito mais difíceis.

Como entrar ilegalmente nos Estados Unidos. Muito pobre, em Sobrália, ele teve de se submeter a 'coiotes', bandidos que levam imigrantes que queiram invadir o país pelo deserto do México.

Sem perspectiva de vida em Sobrália, Minas Gerais, aos 19 anos, Glover foi para a Colômbia. Depois Guatemala. E finalmente chegou ao México. De Tijuana conseguiu passar pela fronteira dos Estados Unidos e chegar a San Diego. Foram seis horas andando no deserto, se escondendo dos policiais norte-americanos.

Trabalhou ilegalmente como jardineiro. Descobriu o mundo das lutas. Seu talento e as vitórias no MMA logo chamaram a atenção do UFC. Ele tentou o perdão das autoridades, mas foi negado. Teve de voltar ao Brasil. Aquil lutou por três anos e meio, até que pudesse entrar legalmente nos Estados Unidos e passar a fazer parte do UFC.

Pois no quinto e último assalto, Glover estava melhor fisicamente do que seu adversário 13 anos mais jovem. Na trocação levava a melhor. Acertando poderosos diretos no rosto do tcheco, dava a impressão que o nocautearia.

A torcida de Cingapura ia à loucura, impressionada com o desempenho do quarentão brasileiro.

Mas o mineiro queria finalizá-lo, levá-lo para o chão.

Foi o seu erro.

Primeiro, tentou e errou uma guilhotina.

Depois, no chão ao buscar a submissão, deixou o tcheco colocar os pés na grade, inverter a posição cinematograficamente e pegar o seu pescoço.

Apelando para o que restava de todas suas forças, Prochazka conseguiu uma inesperada finalização. 

O inesperado mata-leão.

Glover Teixeira caiu na armadilha mais inesperada. Um mata-leão de Prochazka
Glover Teixeira caiu na armadilha mais inesperada. Um mata-leão de Prochazka

Sem ar, sufocado pelos braços do adversário, que o estrangulavam, Glover teve de desistir.

Faltavam 28 segundos para acabar o último round.

A guerra de 24 minutos e 32 segundos acabara.

Castigo terrível, que custou o cinturão dos meio-pesados.

O brasileiro não era mais o campeão do UFC.

O título foi para Prochazka, por sinal, o mais jovem campeão dos meio-pesados.

Glover foi aplaudido de pé, ao final da luta em Cingapura
Glover foi aplaudido de pé, ao final da luta em Cingapura

Mas o mineiro já avisou.

Não vai se aposentar, quer é lutar novamente.

Tem todas as condições de seguir.

Até pedir uma revanche.

Glover deu todos os motivos para ser aplaudido de pé, em Cingapura...

Volante alemão é preso em Ibiza após ser acusado de estupro

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.