Cosme Rímoli 'Caso de polícia' no Corinthians ficará sem solução. Câmeras e microfones foram arrancados da sala da presidência. Sem investigação

'Caso de polícia' no Corinthians ficará sem solução. Câmeras e microfones foram arrancados da sala da presidência. Sem investigação

O novo presidente Augusto Melo confirmou que câmeras e microfones estavam instalados na sua sala. Foram arrancados. O ex-presidente Duílio fez B.O. na polícia. Desconfia que as suas decisões foram vazadas pelas câmeras

  • Cosme Rímoli | Do R7

Augusto Melo confirmou que foi com colete à prova de balas na eleição do Corinthians. Medo de ameaças

Augusto Melo confirmou que foi com colete à prova de balas na eleição do Corinthians. Medo de ameaças

Reprodução/Instagram

São Paulo, Brasil

Morreu, como nasceu, o caso gravíssimo.

A descoberta de um sistema de microcâmeras, com direito a áudio, que estava instalada na presidência do Corinthians.

E na mesa da secretária do presidente.

Assim que foi empossado, o presidente Augusto Melo teria mandado fazer uma varredura para procurar esses 'espiões eletrônicos'.

Melo chegou a ir para o dia da eleição, 25 de novembro, com um colete à prova de balas, com medo morrer por tiros de aliados da situação.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Disse ter recebido uma série de ameaças.

E que o Corinthians havia virado 'caso de polícia'.

Exagero eleitoral ou não, ele conseguiu chamar a atenção da imprensa.

E teve uma fácil vitória sobre André Negão, candidato da situação, que estava há 16 anos no poder.

Há tempos os boatos davam conta que havia câmeras espalhadas em lugares estratégicos do clube.

E elas foram achadas, logo após a eleição de Melo.

Não só na sala da presidência, como no conselho, sala de reuniões.

Atrás de um quadro da presidência.

De um interruptor de tomada.

E embaixo da mesa da secretária.

A Folha de São Paulo publicou na quarta-feira, dia 10, que a varredura foi feita e, como em um filme de 007 dos trópicos, as câmeras foram descobertas.

E retiradas.

Nesta sala estavam instalados os microfones e as câmeras. Negócios milionários são fechados por lá
Nesta sala estavam instalados os microfones e as câmeras. Negócios milionários são fechados por lá Reprodução/Instagram @corinthians

De maneira precipitada.

Desde quando estavam instaladas?

A antiga diretoria, tendo à frente, Duílio Monteiro Alves, foi espionada?

Suas decisões mais íntimas foram descobertas?

Os espiões utilizaram como essas informações?

As repassaram, as venderam, as usaram para desestabilizar Duilio?

Ou...

As câmeras foram instaladas após a saída da antiga direção?

Ou até antes?

E iriam vigiar Melo em todos os seus passos como novo presidente corintiano.

Também com a possibilidade de sabotá-los?

Nunca ninguém vai saber.

Porque, em uma decisão precipitada, as câmeras e os microfones foram retirados pela atual direção.

Se a Polícia Civil fosse chamada, sim, porque o caso é de polícia, seria possível investigar a fundo esse absurdo. Essa invasão criminosa de privacidade.

Negócios milionários foram fechados pelas direções passadas.

Várias decisões envolvendo a dívida bilionária do estádio foram tomadas. Jogadores contratados, dispensados. Técnicos chegaram, saíram.

Notícias podem ter sido vazadas para abalar ainda mais a péssima gestão de Duilio.

Ou antes, é bom repetir.

Duílio diz ter ficado revoltado com a retirada dos aparelhos, que evitou o trabalho da polícia.

E, inconformado, fez um Boletim de Ocorrência, denunciando o fato.

"É inadmissível que um caso como esse seja noticiado pela própria diretoria atual e que não haja desdobramento investigativo condizente com a gravidade do que foi relatado.

"É imprescindível saber a verdade desses fatos, e por isso recorri às autoridades competentes. É o que deveria ter sido feito desde o início.

"A Fiel tem o direito de saber o que se passa, o que é verdade e o que é mentira", detalhou o dirigente.

A direção atual do Corinthians vazou na imprensa que não quis levar adiante as investigações. Para não prejudicar a imagem do clube diante de patrocinadores, empresários de jogadores, os próprios atletas, técnicos.

Mas adianta: varreduras acontecerão permanentemente.

Não estão descartadas reuniões importantes fora do Parque São Jorge.

Para evitar qualquer problema.

A situação é absurda.

O crime ficou sem solução.

A desconfiança da situação e da oposição seguirá.

Sem a descoberta dos culpados.

Quem saiu profundamente arranhada foi a imagem do Corinthians.

Que clube é esse, no qual escutas criminosas são instaladas?

Que tipo de pessoa frequenta a sala da presidência?

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas