Cosme Rímoli Atual diretoria do São Paulo foi conivente. Sabia que Daniel Alves custaria absurdos R$ 1,5 milhão por mês

Atual diretoria do São Paulo foi conivente. Sabia que Daniel Alves custaria absurdos R$ 1,5 milhão por mês

O ex-executivo do São Paulo, Alexandre Passaro, acaba com o mito que o erro na contratação de Daniel Alves foi apenas de Leco e Raí. O atual presidente sabia o quanto o clube gastaria com o veterano jogador

  • Cosme Rímoli | Do R7

Executivo revela que Casares sabia e concordou com o preço caríssimo de Daniel Alves

Executivo revela que Casares sabia e concordou com o preço caríssimo de Daniel Alves

Rubens Chiri/São Paulo

São Paulo, Brasil

Descontando o rancor por ter sido dispensado do São Paulo, a conta do executivo Alexandre Pássaro é assustadora. E explica o porquê o clube do Morumbi estar devendo mais de R$ 600 milhões. Partindo da maneira com que as contratações são feitas.

"Vamos pegar, por exemplo, o Orejuela no São Paulo. Ali no começo do ano, quando a dívida (com o Daniel Alves) estava entre R$ 10 ou 12 milhões e que o São Paulo não pagou o Daniel Alves, ele pagou à vista no Orejuela R$ 13 milhões.

"Você assina um contrato de cinco anos, com um salário médio de R$ 450 mil. Então estamos falando a grosso modo de R$ 30 milhões, mais os R$ 13 milhões, mais comissão, deu R$ 50 milhões.

"E o custo do Daniel, se não me engano, era em torno de R$ 60 ou 65 milhões. Então foi uma questão de escolha (ficar com um ou outro)."

A revelação de Pássaro traz holofote para a gestão de Julio Casares e a complicadíssima rescisão de contrato de Daniel Alves.

O agora executivo do Vasco da Gama fez questão desclarecer que o atual presidente do São Paulo sabia que o jogador iria ganhar R$ 1,5 milhão por mês e não protestou. Pelo contrário, concordou. Por isso não tem o direito de acusar o ex-presidente Leco e o executivo Raí pela contratação caríssima que não deu certo, desgastou o clube e custará aos cofres R$ 400 mil mensais até 2026.

O desafavo foi feito à ESPN.

Passaro deixou claro que todos os principais administrados atuais foram coniventes.

“Essa questão do Daniel tem vários lados, e depende de qual você quer observar. Falando de trás para frente: a contração foi unanimidade entre todos. Inclusive entre o atual presidente do São Paulo, o Julio Casares, que à época era do conselho de administração do clube, que aprovava contas, e não reprovou o contrato.

"O Carlos Belmonte, que hoje é diretor de futebol, todos estavam comigo, com o Leco, com o Raí no palco quando o Daniel Alves por apresentado no Morumbi. Naquele momento praticamente todos sabiam dos valores", revelou.

Passaro deixou claro.

Houve um deslumbramento amador em relação a Daniel Alves.

E o prejuízo ficou para o São Paulo Futebol Clube...

Magia do futebol brasileiro: Vini Jr e Neymar lideram lista de dribladores

Últimas