Cosme Rímoli Apesar do assédio da Colômbia, Felipão fica. Deu sua palavra

Apesar do assédio da Colômbia, Felipão fica. Deu sua palavra

O treinador renasceu aos 70 anos. E recuperou o prestígio depois dos 7 a 1. Mas ficará no Palmeiras em 2019. Quer o Mundial

Felipão, Colômbia, Palmeiras, Mundial 2019

Felipão recuperou o respeito perdido no vexame dos 7 a 1

Felipão recuperou o respeito perdido no vexame dos 7 a 1

Agência Palmeiras

São Paulo, Brasil

Mal Luiz Felipe Scolari confirmou ter sondagens da Seleção Colombiana, os celulares de Mauricio Galiotte e Alexandre Mattos não pararam de receber mensagens e ligações preocupadas.

Membros da diretoria, conselheiros, amigos, familiares, jornalistas queriam saber se era verdade.

O técnico poderia abandonar o Palmeiras, um dia após a festa do decampeonato brasileiro e rumar para assumir o cargo que foi do argentino José Néstor Pékerman por duas Copas do Mundo.

Apesar dos 70 anos, Felipão continua com saúde e energia de sobra para assumir um selecionado e prepará-lo para o Mundial no Qatar.

Mas há algo muito significativo.

Ele deu sua palavra a Galiotte que seguirá no Palmeiras em 2019. E que fará de tudo para vencer a Libertadores da América do próximo ano e levar o clube à sonhada disputa do Mundial.

Veja as fotos do jogo de entrega da taça do Brasileiro para o Palmeiras

"Tenho convite, sim, mas é um assunto que, agora, quando termina o Campeonato, a gente vai pensar com muita clareza. Nos últimos 20, 25 anos, devo ter passado 80% do tempo fora do Brasil. Tem o aspecto da minha família e também outra família, que é a família palmeirense", disse o técnico em entrevista coletiva.

A sondagem da Federação Colombiana chega em excelente momento para o treinador. Apesar de todo o sucesso que teve na China, após o Mundial, ele queria limpara sua imagem no Brasil, na América do Sul. A derrota por 7 a 1 para a Alemanha, na Copa do Mundo de 2014, é algo que ainda o incomoda. Tanto que nem gosta de tocar no tema.

Da Academia a Felipão: Palmeiras acumula 10 títulos do Brasileirão

A volta ao Palmeiras, consertando o fraco trabalho de Roger Machado, conquistando o Brasileiro e chegando até as semifinais da Copa do Brasil e da Libertadores, repercutiram.

Empresários ligados a grandes equipes chinesas e árabes já se assanham. E também sondam o técnico sobre a possibilidade de voltar a trabalhar fora da América do Sul.

Felipão e Bolsonaro. Admiração mútua que se tornou pública com o decacampeonato

Felipão e Bolsonaro. Admiração mútua que se tornou pública com o decacampeonato

Agência Palmeiras

Felipão teve o reconhecimento especial ontem do presidente eleito Jair Bolsonaro. Com direito a, embora se recuperando do atentado à faca que sofreu, Bolsonaro ter erguido o treinador de satisfação ao encontrá-lo. Recebeu como resposta uma continência do treinador, que é seu admirador.

Decacampeão! Relembre os jogadores do Palmeiras no Brasileirão

Agora, quem tenta a reaproximação é o narrador Galvão Bueno. Ele tenta de qualquer maneira levá-lo para o seu programa Bem, Amigos. Já mandou mensagem por intermediários, repórteres da Globo. O afastamento aconteceu pelas fortes críticas de Galvão durante a Copa do Mundo do Brasil, em 2014.

Com a incrível campanha no Brasileiro, Felipão resgatou sua imagem também junto aos dirigentes e torcedores do Palmeiras, que não o perdoavam pelo rebaixamento em 2012.

Não há a menor dúvida que ele ganhará todos os prêmios reservados a melhor treinador do campeonato nacional em 2018.

Felipão se reinventa após 7 a 1 e guia Palmeiras na conquista do deca

Felipão ainda sonha em chegar até a Copa do Catar.

Dirigindo uma seleção que não seja a Brasileira.

Isso pode acontecer.

Mas não em 2019.

O Palmeiras tem algo mais importante que o contrato assinado até o final do próximo ano.

A palavra de Luiz Felipe Scolari...

Curta a página do R7 Esportes no Facebook. 

Veja como foi a festa palmeirense nas redes sociais dos jogadores:

    Access log