Cosme Rímoli Abel Ferreira, calculista, na estreia. Usou o time de Cebola e ganhou

Abel Ferreira, calculista, na estreia. Usou o time de Cebola e ganhou

Treinador português não mudou o time montado pelo auxiliar. Venceu Red Bull Bragantino por 1 a 0. E, estrategicamente, deixou Cebola fora do banco

  • Cosme Rímoli | Do R7

O Palmeiras de Abel Ferreira, acabou com a disputa, aos 18 minutos. Com o gol de Veron

O Palmeiras de Abel Ferreira, acabou com a disputa, aos 18 minutos. Com o gol de Veron

Fernando Roberto/Uaifoto/Folhapress 05.11.20

São Paulo, Brasil

Abel Ferreira foi esperto.

Tanto na estratégia como politicamente.

O português tratou de manter a mesma tática do auxiliar Andrey Lopes, com muita intensidade na marcação e velocidade, com objetividade, nos contragolpes.

Inclusive com os mesmos jogadores que golearam o Atlético Mineiro.

Mas Abel tratou de não colocar Cebola no banco de reservas ao seu lado. 

Quis deixar claro que, agora, quem manda é ele.

Ele estava à vontade no Allianz Parque, hoje.

Graças ao 'time de Cebola', a vantagem era imensa no jogo decisivo das oitavas, na Copa do Brasil. A vitória em Bragança Paulista, por 3 a 1, deu enorme tranquilidade, já que o time patrocinado pela Red Bull é uma enorme decepção em 2020.

O confronto foi realmente mais do que previsível.

Mauricio Barbieri tinha de montar seu time de maneira mais ofensiva.

Fazer exatamente o que o time palmeirense gosta.

Ter os contragolpes à vontade.

Mas não havia necessidade de abrir, correr, se expor.

Abel Ferreira exigiu muita marcação nas intermediárias. Sem chance ao Bragantino

Abel Ferreira exigiu muita marcação nas intermediárias. Sem chance ao Bragantino

Willian Oliveira/Estadão Conteúdo - 5.11.2020

O Palmeiras tratou de controlar, segurar o jogo, até mesmo se poupar fisicamente.

Até porque a equipe perdeu o velocista Wesley, que torceu o tornozelo.

Deixou o Bragantino, com jogadores menos talentosos, correr, tentar buscar o placar.

Felipe Melo, na sua posição correta, como volante, era o melhor em campo.

O jogo seguia morno até que esfriou de vez, aos 28 minutos.

Gabriel Veron tomou a bola no meio de campo, fez ótimo passe para Viña.

O lateral esquerdo uruguaio fez um cruzamento melhor ainda, consciente, inteligente.

A bola chegou para o próprio Veron.

Lembrando a frieza do ex-ídolo Evair, o garoto de 18 anos dominou a bola, olhou o goleiro Cleitou e a colocou no lado esquerdo, pelo alto, estufando as redes.

1 a 0 Palmeiras.

O português fez questão de comemorar o gol de Veron. Proximidade dos jogadores

O português fez questão de comemorar o gol de Veron. Proximidade dos jogadores

Cesar Greco/Palmeiras

Com a vantagem de três gols, até os jogadores do Red Bull Bragantino sabiam que a Copa do Brasil de 2020 havia acabado para o time interiorano.

A partir daí, Abel Ferreira tratou de fechar ainda mais as intermediárias.

Literalmente, o português tratou de 'matar o jogo'.

Não se expôs em momento algum.

Esta foi a primeira mudança significativa do novo técnico.

O Palmeiras chegou às quartas da Copa do Brasil, sem riscos.

E ainda se poupou fisicamente para o confronto do fim de semana, pelo Brasileiro, contra o Vasco da Gama, no Rio de Janeiro.

Abel deu seu primeiro passo no Palmeiras.

E foi firme...

Maradona luta para driblar mais um drama; veja histórico do ídolo

Últimas