Cosme Rímoli "A missão foi cumprida." Abel assume. Palmeiras entrou, em casa, como time pequeno. Para se defender do Atlético

"A missão foi cumprida." Abel assume. Palmeiras entrou, em casa, como time pequeno. Para se defender do Atlético

O treinador português deixou claro seu plano contra o Atlético, mesmo jogando em casa. O português deixou claro que o Palmeiras tinha de se defender. Porque o Atlético tem time melhor

  • Cosme Rímoli | Do R7

Abel Ferreira assumiu. Montou o Palmeiras, em casa, apenas para marcar o Atlético

Abel Ferreira assumiu. Montou o Palmeiras, em casa, apenas para marcar o Atlético

Cesar Greco/Palmeiras

São Paulo, Brasil

20 minutos do segundo tempo. Sobe a placa com o número do jogador a ser substituído para que Wesley entrasse. 43. Dudu vai até a beira do gramado. O jovem atacante estica as duas mãos para ele, o máximo que faz é dar um tapa forte na sua mão direita.

Anda até o banco de reservas. Tira as caneleiras e as joga com força no chão. Está irritadíssimo por ter sido substituído.

Dudu deixar o campo foi totalmente compreensível ontem. Porque a estratégia de Abel Ferreira foi, mesmo com o Palmeiras jogando em casa, retrancar seu time. Jogar na defesa, tentando apenas marcar, não levar gols do Atlético Mineiro. 

Daí a habilidade, o arranque, o talento de Dudu serem dispensáveis em um time que entrou para conseguir segurar o 0 a 0. 

"Não jogamos, nem o adversário. Concentramos nosso bloco bem junto no corredor central. É o que fazem grandes equipes para bloquear equipes que tem forma de jogar de atrair. Os atentos sabem como o Atlético faz gol e vínhamos de uma série de jogos sofrendo gols. 

"O plano foi cumprido", comemorava o português Abel Ferreira.

As declarações foram surpreendentes. O treinador assumiu publicamente que enfrentava uma equipe superior à sua. Por isso tratou de montar um time defensivo, encolhido na defesa, tratando com primordial não sofrer gols. Fugiu do confronto, travou o Palmeiras, optou pela covadia tática. Simples assim.

Diante das perguntas críticas que recebeu após o jogo, aí sim, Abel Ferreira atacou.

"O Palmeiras, para mim, é jogar num clube único. Quando ganha é o maior.

"Quando não ganha é idiota. Quando jogam os guris, são os melhores. Quando perde e os guris não jogam, é porque eles não jogaram", desabafou.

A cobrança de pênalti de Hulk na trave foi fundamental para Abel ter conseguido o 0 a 0

A cobrança de pênalti de Hulk na trave foi fundamental para Abel ter conseguido o 0 a 0

ANDERSON LIRA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Abel Ferreira não aceita críticas ao seu trabalho. Só elogios.

Quanto a Dudu, ele tratou ironizar a reação do atacante. Mas avisou que irá ter uma conversa 'cara a cara' com o jogador, que se irritou ao ser substituído.

" (O Dudu)Deve ter ficado chateado pela performance dele. Os auxiliares me falaram que tirou e jogou as chuteiras. Ele sabe que pode fazer mais. Tenho que ver o que e como fez.

"Ninguém está acima do interesse da equipe. Os assuntos são resolvidos cara a cara."

Com o 0 a 0, o Palmeiras vai a Belo Horizonte com a vantagem de poder empatar com gols e ir para a final da Libertadores. 

Mas se no Allianz Parque, o treinador colocou seu time para jogar como se fosse pequeno, não há a menor dúvida do que fará na próxima terça-feira.

Mais retranca à vista.

"Sabemos o que queremos, onde queremos chegar e o que queremos defender. Vamos defender com unhas e dentes", avisou Abel...

Saiba quem são os jogadores mais valiosos da Libertadores

Últimas