Lance 'Venho treinando forte e me redescobrindo' afirma Ygor Coelho

'Venho treinando forte e me redescobrindo' afirma Ygor Coelho

O atual campeão Pan-Americano em Lima conta sobre suas expectativas para Tóquio

Lance
Lance

Lance

Lance

Apesar da pouca idade, Ygor Coelho, chegará às competições do Japão, no fim deste mês, mais experiente e confiante. Em 2016, ele foi o primeiro atleta brasileiro da história da modalidade a disputar o maior evento poliesportivo do mundo, com apenas 19 anos.

Depois disso, a carreira de Ygor decolou. Em 2017, foi ouro no Campeonato Pan-Americano, título que repetiu em 2018. Em 2019, fez história novamente ao conquistar a primeira medalha de ouro para no Brasil no Badminton nas competições em Lima, no Peru.

O jovem atleta que ocupa hoje a 22ª posição no ranking mundial, segue treinando na Dinamarca, onde mora desde 2018. A seguir, Ygor conta como estão os preparativos e expectativas para a sua segunda participação no maior evento poliesportivo do mundo.

Em entrevista ao time Nissan, o atleta contou sobre seus treinos, expectativas e desafios para a sua segunda participação no maior evento poliesportivo do mundo que tem início neste mês.

- Meus preparativos finais para Tóquio estão sendo na Dinamarca, onde moro. Acabei de competir meu último torneio, o International Challenge da Espanha, em Madri. Venho treinando forte e me redescobrindo no circuito mundial. Agora é o momento de ajustar os treinos para a reta final, para chegar lá na minha melhor forma possível - disse Ygor.

O atleta brasileiro acredita que a experiência de 2016 pode o ajudar nesta edição.

- A minha expectativa é sair da fase de grupos e tentar a minha primeira medalha olímpica. A experiência de 2016 têm me ajudado não só para o Japão como também foi fundamental nas competições dos últimos anos, como os Jogos Pan-Americanos, Sul-Americanos, os mundiais e torneios internacionais. Esse ciclo foi muito especial porque consegui conquistar coisas no badminton que nenhum brasileiro alcançou até então. A Rio 2016 me deu essa experiência única e estou muito feliz de estar classificado e poder viver novamente esse momento, dessa vez mais experiente - contou o jogador.

O carioca comentou sobre qual acredita que será o seu maior desafio.

- O principal desafio vai ser descobrir como estão alguns adversários. Por conta da pandemia, atletas de vários países asiáticos, que são os favoritos no Badminton, não competiram nos últimos meses. Então, não sabemos como está o nível deles. Será uma surpresa pois eles podem ter melhorado algumas coisas no jogo e nós não temos como saber ou estudá-los. Apesar disso, me sinto bem preparado e a conquista do primeiro ouro no Badminton para o Brasil, no Peru, em 2019, me deixa bastante confiante em relação às competições no Japão - comentou Ygor.

Últimas