Técnico da equipe sub-20 do Fortaleza exalta trabalho durante pandemia

Marconne Montenegro explica como a comissão técnica da base do Leão do Pici trabalha com os atletas em período de paralisações

Lance

Lance

Lance

A equipe sub-20 do Fortaleza iria estrear no Campeonato Cearense em maio, mas, por conta da pandemia de COVID-19, a expectativa de jogar a primeira competição do ano ficou para depois. Marconne Montenegro, treinador da categoria, e outros membros da comissão técnica estão trabalhando com os atletas diariamente para que não percam condicionamento físico, psicológico e nutricional na quarentena.

Diante disso, o professor traça objetivos e um planejamento para colocar em prática após a parada. Em entrevista para o site oficial do clube, ele falou sobre os próximos passos para o Tricolor de Aço no sub-20 além de questões como a filosofia de jogo implementada na base. Confira:

Preparação e expectativa para a temporada

'Buscamos mais atletas com experiências em grandes competições nacionais, que tenham destaque em seus respectivos times e que, apesar de jovens, possam estar trabalhando com uma equipe profissional. Esse foi o perfil que estabelecemos para formarmos uma equipe muito forte e de alto nível'.

Trabalho da comissão técnica com atletas e famílias durante a pandemia

'Durante esse período, tivemos a preocupação de elaborar um programa de treinamento individualizado que envolveu os departamentos de preparação física, de fisiologia e a comissão técnica de forma geral. Estamos falando diariamente com todos os atletas e solicitando que, através de vídeos, mostrem seus trabalhos sendo realizados, sempre prezando pela saúde de cada um deles'.

'Todos os departamentos que compõem a categoria de base estão à disposição dos atletas, seja na parte física, técnica, nutricional, e principalmente na parte da psicologia, não só apenas para os atletas, mas para as famílias deles também, porque é um momento difícil para todo mundo'.

Filosofia de jogo

'Sem dúvidas, a filosofia de jogo da equipe do sub-20 tem de ser espelhada no modelo do profissional, que é vencedor e ganhou muitos títulos nos últimos dois anos. O Fortaleza tradicionalmente forma times aguerridos, que não se entregam durante toda a partida e que buscam propor o jogo, sem ficar atrás esperando que o adversário agrida'.

'Essas características combinam também com a minha filosofia. Gosto de um futebol bem jogado, uma equipe que fica com o controle da posse de bola, que tenha boa técnica e pressione o adversário no campo dele, que busque marcar gols e roubar a bola próximo ao gol adversário, além de manter uma compactação e uma boa transição defensiva'.