Lance Swiatek diz suportar melhor a pressão de ser a Nº 1

Swiatek diz suportar melhor a pressão de ser a Nº 1

Polonesa aproveitou o dia para surfar no Media Day da United Cup

Lance
Lance

Lance

Lance

Iga Swiatek, número 1 do mundo, se disse mais experiente para suportar a pressão de ser a líder da tabela. Ela iniciará uma nova disputa com Aryna Sabalenka nessa nova temporada que vai se iniciar.

“Embora a minha classificação fosse a mesma de 2022 no final da temporada, este ano foi totalmente diferente. Tive muitos altos e baixos e algumas lutas com as quais tive que lidar. O final da temporada foi muito emocionante. Acho que isso nunca aconteceu antes na história do tênis. Disputar aquelas partidas em Cancún com tanta carga na classificação me deu muita confiança. Aprendi muito sobre mim mesma e vou aproveitar isso em 2024. Estou ansiosa pelos torneios na Austrália. Quero fazer isso passo a passo. Me sinto melhor preparada para lidar com a pressão de ser o número um do que no ano passado”, explicou Iga Swiatek no Media Day da United Cup.

"Pode ser algo realmente motivador e inspirador. Existem muitos torneios em que sinto que uso isso como uma oportunidade para estar mais confiante e ter um impacto mental nos meus rivais. Houve outros torneios onde senti uma grande pressão. Como na vida, há altos e baixos. Por enquanto, estou gostando do que fiz no ano passado e de ter voltado ao número 1 do mundo no final. É nisso que penso, me dá muita confiança.”

Sobre a disputa da United Cup, onde enfrentam o Brasil e a Espanha, Iga comentou: "Acho que é um evento especial, muito emocionante. É diferente de qualquer outro torneio. É muito bom ter a oportunidade de jogar com o time e sentir um pouco do apoio dos companheiros porque normalmente estamos sozinhos em outros torneios. No ano passado o clima estava ótimo e tenho certeza que será assim também este ano. Há uma carga emocional diferente quando você joga pelo seu país. Infelizmente, perdemos nas semis, mas ganhámos muita experiência. Espero que possamos usá-lo este ano.”

Ela tentará a seguir o título do Australian Open pela primeira vez: "Cheguei às semifinais no ano anterior, no ano passado estive na quarta fase. Não sinto que preciso defender muito. Sinceramente, nunca penso nessas coisas. Há algo mais no torneio quando você é a atual campeã. Acho que posso aguentar com um pouco de calma. Ainda não ganhei o Aberto da Austrália, então só quero tentar alcançar meus objetivos. Estamos começando a temporada, então vou me concentrar em entrar no ritmo e ver o que aprendi na pré-temporada.”

Um novo ano começa, mas para Iga as possíveis protagonistas deverão seguir as mesmas: "É super difícil prever. É impossível dizer quem. Nos últimos anos, sempre houve uma jogadora que de repente fez uma descoberta e ganhou um Grand Slam ou ficou entre as cinco primeiras. Penso em Sabalenka, Rybakina e eu, somos mais consistentes que as outras. Espero que continuemos assim nas próximas temporadas, mas não tenho ideia de quem pode se destacar. Ons também é uma jogadora muito consistente quando não está lesionada.”

Últimas