Sette Câmara pede reconhecimento por gestão 'austera' e rechaça irresponsabilidade na gestão do Galo

O presidente do clube mineiro também comentou sobre as mudanças que ainda devem ocorrer no Atlético no elenco comandado por Jorge Sampaoli

Lance

Lance

Lance

As reformulações no elenco do Atlético-MG podem ter seguimento, mesmo com pandemia do novo coronavírus ainda em expansão no Brasil. O lateral-direito Patric já foi para o Sport e a equipe comandada por Jorge Sampaoli deverá ter ainda outras mudanças. O presidente do clube, Sérgio Sette Câmara, falou sobre as mexidas no elenco, porém, sem citar nomes de possíveis despedidas.

- O Alexandre Mattos já sabe quais jogadores o Sampaoli quer utilizar e os que o Sampaoli disse que não tem interesse. Vamos falar com esses aí e chegar a um acordo. Pensando mais para frente, acreditamos que o futebol irá voltar em julho e teremos o Brasileiro pesado. E queremos fazer investimento com a volta das receitas. E precisamos ter pés no chão de trazer jogador para o lugar de quem vai sair- disse.

Sette Câmara destacou a gestão que exerce no Galo e reclamou que ações de austeridade e responsabilidade para reduzir os custos não tem o mesmo reconhecimento de contratações e dispensas de jogadores, feitas de forma desorganizadas, para “fazer média com o torcedor”.

- Vejo isso com naturalidade(gestão mais austera), vários clubes terão de fazer isso aí. Nós já estamos fazendo trabalho de reestruturação. Quem acompanha de perto, sabe o quanto tenho trabalhado para diminuir nossas dívidas. Recebi uma herança grande de dívidas do passado. Estou tentando reajustar toda essa situação aí. Não é fácil. É como um governante que faz esgoto. Isso ninguém vê, está debaixo do asfalto. Pagar dívida na FIFA não dá ibope. O que dá ibope é trazer jogador, não pagar e levar título. Tem muita gente que faz isso, não vai ser o meu caso. Tenho gestão séria, correta- explicou.

Sette Câmara tem se mostrado tranquilo quanto ao futuro atleticano em 2020, apesar das dificuldades que a pandemia de coronavírus está impondo ao mundo.

O presidente do Atlético crê que o clube irá fechar 2020 de forma segura em suas finanças, sem perder o foco nos investimentos que terão apoio dos parceiros alvinegros.

- Estamos tentando ajustar as contas do Atlético à duras penas. Dentro de toda dificuldade que encontramos. Quando começamos a dar uma respirada, veio o coronavírus. Mas quando ele for embora, nossa torcida irá nos ajudar bastante, queremos que ela abrace o clube e vamos sair lá na frente com receitas novas, com dinheiro da TV, venda de camisas, bilheteria. No fim do ano, creio, teremos situação equilibrada-concluiu.