Presidente da Saferj detalha preocupações financeiras dos atletas

Alfredo Sampaio diz que jogadores da elite do Estadual 'temem por sobrevivência' em relação aos salário. Divisões inferiores seguem à espera de clareza sobre o calendário

Lance

Lance

Lance

O presidente do Sindicato dos Atletas de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Saferj), Alfredo Sampaio, detalhou as preocupações financeiras com as quais atletas vêm convivendo em meio à pandemia do novo coronavírus. Em entrevista ao programa "Os Donos da Bola", na Rede Bandeirantes, ele apontou os desafios com os quais os clubes da elite do Rio vêm convivendo.

- O pessoal que joga o Campeonato Carioca está com muita preocupação em relação aos vencimentos pendentes. Muitos não receberam o mês de fevereiro. Alguns receberam o mês de março, mas não integralmente. Há tensão quanto à sobrevivência nos próximos meses e, em um retorno da competição, que eles possam receber os meses que faltarem - afirmou.

Segundo Sampaio, o panorama é bem diferente em relação aos clubes que disputam as divisões inferiores do Estadual.

- Nas Séries B1, B2 e C do Carioca, o impacto é diferente. Nenhum deles teve contratos ativados. O problema é em relação à data na qual o campeonato começará e, com isto, quando começam a vigorar de fato seus vínculos com os clubes. Os atletas estão sem receber nenhuma posição definitiva sobre quando começa a rotina deles de treinos e a vigorar os contratos - declarou.

Em live no dia 24 de abril, o mandatário da Ferj, Rubens Lopes, disse que, inicialmente, a Série B1 está prevista para começar em 15 de agosto. A entidade adiou as divisões de base e cancelou a Copa Rio em virtude da pandemia.