Lance Operário e Sampaio Corrêa empatam no Germano Kruger pela Série B

Operário e Sampaio Corrêa empatam no Germano Kruger pela Série B

Gol dos paranaenses foi marcado pelo estreante Rafael Oller enquanto Mazinho, contra, deixou tudo igual na cidade de Ponta Grossa

Lance
Lance

Lance

Lance

Fazendo o primeiro jogo dessa sexta-feira (11) na 28ª Rodada da Série B do Brasileirão, o Operário atuou em casa diante do Sampaio Corrêa em confronto que ficou igualado por 1 a 1. O marcador fez com que o Sampaio totalize 45 unidades e fique na terceira posição enquanto o Fantasma, em 12° lugar, tem 35.

BOA MOBILIDADE, MAS NAS FINALIZAÇÕES...

Principalmente na primeira metade da etapa inicial, ficou visível que os dois times demonstravam disposição para mudar o cenário do jogo e apresentavam boas ideias em relação a mobilidade à frente e abertura de espaços para a criação de jogadas. Porém, na hora de concluir, faltava a precisão necessária pensando em um trabalho mais intenso dos goleiros Martín Rodríguez e Gustavo. Tanto é que a finalização mais aguda demorou a aparecer e veio em lance de velocidade onde o lateral-direito Luis Gustavo passou nas costas da marcação, entrou na grande área e bateu cruzado bola que passou com perigo do lado esquerdo da trave de Martín.

QUANDO BOTOU NO ALVO, GOLAÇO!

A dificuldade do Fantasma em conseguir traduzir seu maior volume de presença ofensiva em chances claras de marcar era notória. Então, a solução encontrada de maneira muito feliz pelo estreante Rafael Oller foi partir pra cima da marcação em jogada individual onde ele puxou para a perna direita e acertou uma belo chute que foi no ângulo esquerdo de Gustavo, marcando o primeiro tento da partida em Ponta Grossa aos 25 minutos.

FOGO AMIGO

Colaborando para a reação rápida do Sampaio tão logo o jogo foi retomado para o segundo tempo, na primeira oportunidade mais aguda dos maranhenses em cobrança de falta pelo alto, o meio-campista Mazinho tentou fazer o corte na primeira trave. Porém, o desvio acabou tendo justamente o efeito contrário e acabou mandando a bola no extremo canto esquerdo de um Martín Rodríguez que nada pode fazer para evitar a igualdade da Bolívia Querida.

INVERSÃO DO CONTROLE

Se no primeiro tempo ficou destacado o domínio territorial e o volume de jogo por parte dos paranaenses, na etapa complementar a situação foi inversamente proporcional onde, além do tento rápido para encontrar a igualdade, a postura de marcação e capacidade de controlar as ações do jogo foi totalmente dominada por parte do Sampaio.

​Entretanto, apesar da superioridade aplicada, faltou eficiência no momento de dar acabamento as jogadas, algo que se refletiu em um trabalho menos intenso de Martín Rodríguez do que o volume aplicado induzia. Somente em uma linda cabeçada de Diego Tavares, exigindo uma ponte espetacular do uruguaio, ameaçou alterar o placar no Germano Kruger que acabou mesmo em 1 a 1.

Últimas