Lance No Internacional, Marcos Guilherme reconhece que não manteve nível de atuação

No Internacional, Marcos Guilherme reconhece que não manteve nível de atuação

Jogador que era uma das peças mais destacadas no início da gestão de Eduardo Coudet agora frequenta o banco de reservas

Lance
Lance

Lance

Lance

Se no confronto do turno Marcos Guilherme era uma das peças de "desafogo" na equipe do Internacional, com direito a marcar um belíssimo gol na goleada por 3 a 0 pela estreia na fase de grupos da Libertadores frente a Universidad Católica, a situação se modificou de lá pra cá.

Mais de sete meses depois, Católica e Inter se reencontram na próxima quinta-feira (22) em Santiago pela última rodada do Grupo E com o meia-atacante sendo provável opção no banco de reservas. Algo que, segundo ele, é completamente merecido diante da sua queda de rendimento:

- Creio que um pouco antes da pandemia estava rendendo muito melhor. A equipe estava bem encaixada, e eu estava conseguindo atuar bem. Após a pandemia, eu dei uma caída, não consegui fazer o que estou acostumado a fazer. Estava muito incomodado com isso. Eu saí do time um período. Muito merecido, não estava rendendo o esperado. Mas nesses últimos três jogos, consegui retomar a confiança.

- É difícil citar um motivo para isso. Alguns detalhes que são mais internos, que tive que falar com o Coudet. Foi um cara importantíssimo para a retomada. Não foi falta de trabalho. Não só o Coudet. Os jogadores, o Rodrigo Caetano, todos estavam conversando comigo. Acho que foi momento de muita aprendizagem e trabalho. Feliz em poder retomar. Acho que nesses últimos três jogos, consegui dar boa resposta - esclareceu Marcos Guilherme.

Últimas