Lance MP denuncia marido que matou a facadas esposa torcedora do Palmeiras após final da Libertadores

MP denuncia marido que matou a facadas esposa torcedora do Palmeiras após final da Libertadores

Leonardo Ceschini confessou assassinato da esposa, mesmo assim, havia sido solto pela Justiça em fevereiro. Para promotor, torcedor do Corinthians 'agiu por motivo fútil'

Lance
  • Lance | por Lance


O Ministério Público de São Paulo abriu uma denúncia contra o homem torcedor do Corinthians Leonardo Souza Ceschini, empresário de 34 anos, acusado de assassinar a facadas sua esposa torcedora do Palmeiras, a representante comercial Érica Fernandes Alves Ceschini, no fim de janeiro. O homem, que assumiu a autoria do crime em fevereiro, teria sido motivo pela final da Libertadores da América.

+ TABELA: Confira a tabela de jogos e a classificação do Brasileirão Série A

Marido mata esposa palmeirense após final da Libertadores

Marido mata esposa palmeirense após final da Libertadores

Lance

Érica Fernandes foi morta a facadas após título do Palmeiras (Foto: Reprodução)

+ Zanetti na final, Nory e Felipe Wu decepcionam… Veja o resumo da Olimpíada

Érica festejava o título do Palmeiras, que conquistou a Copa Libertadores no começo de 2021, quando o Alviverde bateu o Santos, no Maracanã, por 1 a 0. Seu marido teria assassinado a companheira por uma discussão sobre futebol. O caso ocorreu no apartamento do casal no bairro São Domingos, Zona Oeste da capital. Em fevereiro, dois dias depois do crime, o homem foi solto.

Na visão do promotor Fernando Bolque, autor da denúncia, "é certo que o denunciado agiu valendo-se de motivo fútil, qual seja, simples discussão familiar fomentada por rixa esportiva. O crime também foi perpetrado com emprego de meio cruel, visto ter sido a vítima atingida por diversas facadas, suportando sofrimento atroz e desnecessário".

Há cinco meses, a juíza Giovanna Christina Colares, da 5ª Vara do Júri de São Paulo, deixou o homem solto e aguardando a denúncia por entender que houve "excesso de prazo na manutenção da prisão preventiva". O torcedor ainda teria dado declarações diferentes durante as investigações iniciais, e logo confessou o crime.

A Polícia Civil investiga também um suposto furto por parte do sogro de Érica, na casa onde o casal morava com seus os filhos gêmeos, de 2 anos. O parente teria levado eletrodomésticos e joias. As duas crianças estão sob guarda da avó materna.

Últimas