Lance Moya relata exaustão de Nadal para não jogar Olimpíada e nem Wimbledon

Moya relata exaustão de Nadal para não jogar Olimpíada e nem Wimbledon

Técnico de Rafa teceu elogios a Djokovic

Lance
Lance

Lance

Lance

Carlos Moya, técnico de Rafael Nadal, concedeu uma entrevista à rádio RTVE e revelou os motivos das ausências do pupilo de Wimbledon, que começa dia 28, e dos Jogos Olímpicos de Tóquio, a partir de 24 de julho.

"A gira no saibro foi muito difícil, com muita pressão física e mental. Rafa terminou exausto", disse Toni sobre o espanhol que venceu Barcelona e Roma e parou na semi em Paris após 4h11min contra Novak Djokovic.

"Ele vai ter um merecido descanso, esta é uma maratona, uma prova de longa distância em que é preciso tomar decisões difíceis e ele considerou que o melhor é parar para voltar cheio de força. Rafa dois anos atrás atingiu um ponto de grande fadiga mental do qual era muito difícil sair e agora ele interpretou que estava perto disso de novo. Ele não pode jogar um Grand Slam se não estiver 100%, por tudo o que sua imagem implica , pelo prestígio e pela forma como é ”, seguiu Moya.

O quanto a derrota com Djokovic afetou o fato de não jogar em Londres ou Tóquio

Muitos interpretaram esta decisão de Nadal como algo precipitado depois de cair nas semifinais de Roland Garros, Moya explica: "A derrota não afetou tanto quanto o fato de haver uma semana a menos que o normal para se preparar para Wimbledon, bem como o contexto em que estamos com a pandemia. É mentalmente complicado enfrentar os confinamentos antes de um grande jogo , jogar com pouco público, etc. Isso afeta o Rafa, ele é uma pessoa que tem uma grande conexão com o povo e era difícil ir para Londres com uma quarentena no meio", afirma o treinador do jogador balear.

Carlos analisou a partida contra Djokovic na semi de Paris: "Foi um jogo parecido com o que jogaram em Roma há algumas semanas. Tudo está muito equilibrado e é vital para acertar uma série de pontos que podem mudar o equilíbrio. Novak foi melhor nessas situações, como 5/6 em o terceiro set, mas também foi fundamental que Rafa o tenha deixado entrar em jogo quando dominou por 5 a 0 no primeiro set. Embora tenha acabado fechando aquele set, levantou dúvidas em ver como Djokovic subiu de nível", disse.



“Muitas vezes falamos de tática, mas para vencer esses jogos é preciso ter muito sucesso em todos os seus golpes. Rafa cometeu muitos erros não-forçados e não estava no nível dele no saque ou no backhand. Novak se saiu melhor, encurralou ele muito bem no backhand e Rafa não poderia escapar facilmente de lá. Vamos aprender muito com esta partida", disse um homem que elogiou Djokovic. “Ele tem uma mentalidade impressionante, uma determinação raramente vista na história do esporte. Todos os integrantes da Big 3 se tornaram melhores uns aos outros”, argumentou o técnico espanhol.

Últimas