Lance Medalhistas do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio ganham exposição no eMuseu do Esporte em parceria com o COB

Medalhistas do Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio ganham exposição no eMuseu do Esporte em parceria com o COB

Homenagem inicia a contagem regressiva para Paris 2024, que acontece em julho e agosto de 2024

Lance
Lance

Lance

Lance

Como uma homenagem e, ao mesmo tempo, incentivo para os Jogos Olímpicos de Paris 2024, o eMuseu do Esporte, em parceria com o Comitê Olímpico do Brasil (COB), lança neste mês de agosto a exposição “Time Brasil nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020”, que registra as conquistas de todos os atletas e equipes que conquistaram nas Olimpíadas do Japão o recorde de medalhas de ouro do Brasil. A visita virtual pode ser feita pelo portal www.emuseudoesporte.com.br, que já registra mais de 200 mil pessoas alcançadas na rede mundial de internet.

“Colocar o eMuseu do Esporte à disposição da memória do esporte é uma das nossas missões. Agora, através dessa parceria de longa data com o COB, os medalhistas brasileiros dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 serão eternizados no coração de todos. Entregamos um ambiente bilingue, português e inglês, para divulgação das conquistas brasileiras em âmbito internacional, mostrando, assim, ao mundo os grandes exemplos dados por nossos atletas”, explica Bianca Gama, gestora do eMuseu do Esporte.

A curadoria da exposição é do Departamento de Cultura e Valores Olímpicos e as imagens são do acervo do COB.

O secretário de estado de Esporte e Lazer do Rio de Janeiro, Rafael Picciani, ressalta a importância do projeto e o apoio do governo fluminense a uma causa tão importante, que é valorizar as conquistas esportivas do país.

“Valorizar as conquistas dos ouros olímpicos, certamente, servirá de estímulo para que as próximas gerações persigam esses mesmos objetivos, levando o nome do nosso país ao lugar mais alto dos pódios. O eMuseu é um projeto que o Governo do Estado se orgulha de ser parceiro pelo caráter inovador e pelo zelo com a memória esportiva dos nossos equipamentos, das nossas conquistas e dos nossos atletas. Essa parceria, agora, relativa às Olimpíadas de 2020, é mais um item do acervo do eMuseu que agregará muito para as futuras gerações”, afirma.

Quem visitar a exposição “Medalhistas Olímpicos 2020” será virtualmente recebido por Rebeca Andrade, prata no individual de Tóquio e a primeira medalhista olímpica brasileira na ginástica artística. Ela trouxe para o Brasil uma das 21 medalhas conquistadas no Japão das quais, nove conquistadas por atletas mulheres. Todas elas estão presentes no eMuseu do Esporte: Rayssa Leal, a Fadinha, prata no skate aos 13 anos; Luisa Stefani e Laura Pigossi, primeira medalha brasileira no tênis com o bronze; Beatriz Ferreira, prata no boxe; Ana Marcela Cunha ouro nos 10Km nas águas abertas; Martine Grael e Kahena Kunze, bicampeãs olímpicas da vela; Mayra Aguiar, bronze no judô e primeira atleta brasileira a conquistar três medalhas olímpicas; e as meninas do vôlei que trouxeram a prata para o Brasil.

Ao lado das mulheres estão os 12 atletas das categorias masculinas como o estreante em Jogos Olímpicos e surfista de ouro, Ítalo Ferreira; o canoísta também de ouro, Isaquias Queirós; o outro ouro brasileiro de Herbert Conceição no peso médio do boxe; e os meninos de ouro do futebol bicampeão olímpico; os medalhistas de prata Pedro Barros e Kelvin Hoefler (skate); e os medalha de bronze Thiago Braz (salto com vara); Daniel Cargnin (judô); Fernando Scheffer e Bruno Fratus (natação); Alison dos Santos (400m com barreiras) e Abner Teixeira (boxe).

“A parceria com o eMuseu do Esporte nos possibilita levar a Cultura Olímpica para muitos espectadores. Rever o desempenho dos nossos atletas nos Jogos de Tóquio, além de muito emocionante, nos deixa ainda mais entusiasmados para os Jogos de Paris 2024. Esperamos causar a mesma sensação no público”, diz Carolina Araujo, gerente de Cultura e Valores Olímpicos do COB.

Com versões em português e inglês, o eMuseu do Esporte, uma iniciativa da Gama Desenvolvimento e Treinamento, com patrocínio da Enel Distribuição Rio por meio da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte do Governo do Rio de Janeiro, via Secretaria de Esporte e Lazer, é acessível às pessoas com deficiência visual, pela audiodescrição de todo o acervo, bem como para deficientes auditivos, pela descrição dos áudios em Libras.

“A acessibilidade é sempre uma premissa do eMuseu do Esporte em suas realizações, para garantir a inclusão de todos. Somos um eMuseu que resgata o passado, preservando a memória, com o intuito de inspirar a todos no presente, olhando para o futuro. Então, que venham os novos medalhistas das Olimpíadas de Paris 2024”, completa Bianca Gama.

EMuseu do Esporte

O eMuseu do Esporte é um projeto inédito no mundo. Seu conteúdo pode ser acessado pelo portal www.emuseudoesporte.com.br nas versões português e inglês ou, de forma itinerante, em uma carreta que leva não só seu acervo como simuladores de diversos esportes por várias cidades brasileiras.
A ideia nasceu após os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, com o objetivo de se tornar um hub virtual para engajar atletas, entidades esportivas, museus e torcedores em torno da preservação da memória esportiva, combinando tecnologias digitais. Ele celebra a memória do esporte brasileiro e seu legado, em um formato inédito e colaborativo.
No total, seu acervo abriga 25 ambientes diferentes, e a carreta já rodou três estados do Brasil com registro de mais de quatro mil pessoas alcançadas.

Últimas