Lance Mattos diz que atrasos no Galo geram ansiedade e não insatisfação

Mattos diz que atrasos no Galo geram ansiedade e não insatisfação

O diretor de futebol comentou sobre as dificuldades do clube em cumprir seus compromissos financeiros com seus funcionários

Lance
  • Lance | por Lance

Lance

Lance

Lance

As notícias de que os atrasos de salário no Atlético-MG estão tumultuando o ambiente, tem gerado preocupação no torcedor alvinegro, que tem visto a grave crise financeira que o clube vive neste momento. O Galo alega que a pausa forçada no futebol por conta da pandemia do coronavírus é a principal causa das dificuldades em arcar com seus compromissos financeiros.

O diretor de futebol do clube, Alexandre Mattos, revelou que há ansiedade no elenco de atletas para que as pendências sejam sanadas. O presidente Sérgio Sette Câmara, afirmou que o alvinegro vai pagar parte das pendências com o grupo de jogadores ainda esta semana.

Mattos negou que haja insatisfação dos jogadores pelos dos atrasos salariais. Todavia, confirmou que há desconforto com os prazos para quitar os débitos.

- É uma dificuldade mundial, não só do Atlético. Todos os clubes estão passando por dificuldades. Obviamente que isso está diretamente ligado às questões salariais, do dia a dia. Venho conversando diariamente com os atletas, estão na compreensão. Óbvio que todos estão ansiosos, que todos têm seus compromissos, mas todos também conhecem o presidente Sérgio Sette Câmara, que está há mais de dois anos no comando e conseguindo equilibrar bem as contas. Conseguiu sempre honrar com tudo que combinou com eles. Tem uma confiança mútua nisso - disse em entrevista à Rádio da Massa. Mattos reforçou em seguida que é estado de espírito no elenco é de ansiedade.

-Não vejo insatisfação. Vejo uma ansiedade de todos para tentar fazer o que todo mundo gosta, que é jogar futebol, ter os jogos, os desafios. É isso que estamos aguardando para, aí sim, conseguir fazer nosso ambiente natural do dia a dia-explicou Alexandre Mattos.


Nos últimos meses, o Atlético-MG reduziu salários de elenco, comissão técnica e funcionários em 25%, liberou jogadores e demitiu 50 pessoas de vários setores para conter a crise econômica.

Últimas