Marlon e Aranda têm sentenças homologadas no TRT-1; Lenon e Julio Cesar acionam o Vasco na Justiça

Ex-jogadores do Cruz-Maltino que defenderam o clube em 2014 irão começar a receber, somados, quase R$ 3 milhões, via Ato Trabalhista. Outros dois iniciam processos judiciais

Lance

Lance

Lance

Nos últimos dias, dois ex-jogadores do Vasco tiveram as suas sentenças de homologação das condenações de valores que têm a receber do clube, e outros dois acionaram o Cruz-Maltino pela primeira vez no Tribunal Regional do Trabalho da Primeira Região (TRT-1) cobrando valores que entendem ter direito. Tratam-se de Marlon, Eduardo Aranda, Julio Cesar e Lenon. O LANCE! teve acesso aos autos dos quatro processos e detalha a situação de cada um.

MARLON
Marlon defendeu o Vasco em 2014. O lateral-esquerdo acabou acionando o Vasco no TRT-1 em 2016 e, no fim da semana passada, a juíza Andressa Campana Tedesco Valentim, da 1ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, homologou a condenação do Cruz-Maltino para o jogador em R$ 1.620.762,61. Na decisão, a magistrada determinou que o caso fosse encaminhado ao Juízo Centralizador, para que o atleta comece a receber os valores por meio do Ato Trabalhista do Cruz-Maltino.

EDUARDO ARANDA
Eduardo Aranda também defendeu o Vasco em 2014. O volante acionou o Vasco no TRT-1 em 2017 e, no último fim de semana, a juíza Andressa Campana Tedesco Valentim, da 1ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, homologou a condenação do Cruz-Maltino para o jogador em R$ 1.337.635,20. Na decisão, a magistrada determinou que o caso fosse encaminhado ao Juízo Centralizador, para que o atleta comece a receber os valores por meio do Ato Trabalhista do Cruz-Maltino.

JULIO CESAR
Julio Cesar defendeu o Vasco entre os anos de 2015 e 2016. O lateral-esquerdo acionou o Vasco no TRT-1 durante o último recesso do judiciário, cobrando R$ 562.786,71 - o clube ainda não foi notificado e terá o período para se defender nos autos. Pelos documentos obtidos pela reportagem, este valor é referente a diferença em direito de arena (R$ 232.196,69), gratificações com reflexos em descanso semanal remunerado, 13º salário, férias com terço constitucional e FGTS (R$ 214.862,97) e descanso semanal sobre folgas não concedidas (R$ 115.727,04). O caso foi sorteado para a 65ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, do comando da juíza Adriana Freitas de Aguiar, que já marcou a primeira audiência das partes para o dia 2 de junho deste ano.

LENON
Lenon defendeu o Vasco em 2018. O lateral-direito acionou o Vasco no TRT-1 também durante o último recesso do judiciário, cobrando R$ 156.766,65 - o clube ainda não foi notificado e terá o período para se defender nos autos. Pelos documentos obtidos pela reportagem, este valor é referente a salário de dezembro de 2018 (R$ 40 mil), verbas rescisórias (R$ 54.366,65), sete meses de FGTS não depositados (R$ 22,4 mil) e multa pelo artigo 477 da CLT (R$ 40 mil). O caso foi sorteado para a 36ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, do comando do juiz José Monteiro Lopes, que já marcou a primeira audiência das partes para o próximo dia 5 de maio.