Lance Luisa Stefani e Laura Pigossi salvam 4 match-points e são BRONZE em Tóquio

Luisa Stefani e Laura Pigossi salvam 4 match-points e são BRONZE em Tóquio

Última dupla classificada para Tóquio, as brasileiras conquistaram a 1ª medalha do país na modalidade

Lance
Lance

Lance

Lance

As brasileiras Luísa Stefani e Laura Pigossi fizeram história nos Jogos Olímpicos de Tóquio ao salvarem quatro macth-points e superaram as tenistas russas Elena Vesnina e Veronika Kudermetova, que jogam sob a bandeira do Comitê Olímpico.

Em uma batalha épica, Pigossi e Stefani lutaram por 2h13 para fechar o placar de virada em 4/6 6/4 11/9 tendo convertido quatro aces contra seis das russas, que cometeram seis duplas-faltas contra duas de Pigossi e Stefani, que salvaram quatro match-points, todos no match-tiebreak e conquistaram a primeira medalha olímpica do Brasil no tênis.

Última dupla classificada e inscrita na disputa destes Jogos Olímpicos, as brasileiras conquistaram a primeira medalha do país na modalidade. Nos Jogos de Atlanta 1996, Fernando Meligeni esteve próximo do bronze, mas acabou derrotado de virada pelo indiano Leander Paes.

A conquista de Pigossi e Stefani marca a 5ª olimpíada consecutiva com tenistas da América do Sul no pódio.

Elena Vesnina era a atual campeã olímpica nas duplas femininas e voltou ao circuito profissional este ano, após uma parada de 3 anos para ser mãe. Seu objetivo de retorno era a medalha em Tóquio.

O jogo

As russas tiveram um início de jogo firme na devolução, abriram 3/0 com quebra no segundo game e foram administrando. Laura e Luísa foram se encontrando na partida, Pigossi ficou ainda mais firme no fundo de quadra sendo exigida pelas russas e trabalhando com backhand, viu Stefani devolver a quebra no sétimo game, mas acabaram sendo quebradas em bela jogada na rede de Vesnina e saíram em desvantagem.

Na segunda etapa, as brasileiras saíram quebrando o saque de Vesnina e precisaram salvar breakpoint na sequência. Pigossi seguiu sendo a mais exigida em quadra e sustentou bem as devoluções cruzadas e trocas mais longas, administrando a quebra.

No match-tiebreak, as russas pediram para irem ao vestiário no intervalo, talvez numa tentativa de esfriar a dupla brasileira que permaneceu em quadra. A tática foi dando certo e Vesnina e Kudermetova abriram 5/2 com quebrada no terceiro e sétimo pontos e a reação brasileira vem no 12º ponto, com Stefani firme na rede. As russa chegaram a 9/5, forçaram saque em Pigossi e viram as brasileiras salvarem quatro match-points e trabalharam firme buscando forçar o erro das russas que veio no match-point com bola pra fora.

Últimas