Futebol Técnico do Corinthians vê justiça em críticas ao seu trabalho, mas cobra 'divisão de responsabilidades'

Técnico do Corinthians vê justiça em críticas ao seu trabalho, mas cobra 'divisão de responsabilidades'

Após empate contra o São Bento, na Neo Química Arena, Vagner Mancini alertou sobre a pressão interna, independentemente da ausência dos torcedores no estádio

Lance
Lance

Lance

Lance

Em um momento de estádios vazios, por conta da pandemia do novo coronavírus, as redes sociais se tornam um termômetro da voz dos torcedores. E no caso do Corinthians, muitos deles têm cobrado o técnico Vagner Mancini.

Basta darmos uma rápida passeada no Twitter, por exemplo, que podemos ler que com menos de 200 carácteres, boa parte da massa corintiana consegue expor a sua insatisfação com o treinador.

E o próprio comandante do Alvinegro concorda com as críticas da Fiel, pois reconhece que o time não tem atuado dentro do esperado e nos dois últimos jogos, além do futebol abaixo da média, também não conseguiu o resultado, sedo derrotado, em Araraquara, para a Ferroviária, e apenas empatado em casa diante do São Bento, clube que não registra vitórias, até aqui, no Paulistão.

– Eu acho que são justas, a partir do momento em que a equipe não vem jogando bem, você perde uma partida fora de casa, onde, com dois erros individuais, e depois empata um jogo em casa. É natural que a torcida esteja chateada – comentou Mancini em entrevista coletiva virtual concedida após o 1 a 1, na Neo Química Arena, contra o Bentão, pela sétima rodada do Estadual, nesta sexta-feira (16).

No entanto, Mancini deixa claro que a cobrança pela má fase técnica não pode respingar apenas dele.

– Eu acho que a divisão de responsabilidades deve acontecer. Toda essa pressão ela chega, porque todo mundo sabe disso. Mas muito mais do que essa pressão, é a nossa pressão com a gente mesmo, essa pressão interna. Não é porque não temos a torcida no estádio, é que nós não temos pressão. A pressão é exercida, a cobrança é exercida em cima de todo mundo – disse.

>> Confira a tabela do Paulistão e simule os próximos jogos

Ainda assim, Vagner Mancini aproveitou para deixar claro que o mesmo incômodo que os torcedores estão tendo com o desempenho corintiano, ele, como técnico, possui.

– Esse tipo de atuação, se incomoda os torcedores, também me incomoda. E a gente tem que rapidamente solucionar para que os jogos sejam mais contundentes, que a equipe tenha um pouco mais de concentração, seja uma equipe mais convicta daquilo que quer, não só na parte tática, como na parte técnica também. O Corinthians jogou hoje um pouco abaixo do que deveria ser – pontuou o técnico.

Por fim, o comandante do Timão nas quatro linhas garantiu que seguirá trabalhando em busca da evolução técnico dos seus jogadores.

– O torcedor quer ver o time ganhando e a gente respeita muito isso, e a gente quer dar pra ele alegria, orgulho de ver a equipe jogando. As vezes a gente consegue, as vezes não. Mas não é por isso que a gente vai deixar de trabalhar. Acho que o mais importante nesse momento é passar ao torcedor que nós estamos cobrando, nós somos cobrados, porque há uma diretoria, há um comando em cima dos jogadores, então internamente a gente se cobra demais, ninguém ficou satisfeito com o jogo de hoje, com a derrota em Araraquara, então por isso que a gente te que voltar, parar, pensar, ver onde estamos errando para que a equipe seja muito mais competitiva, jogue um futebol mais alegre para devolver ao torcedor aquele orgulho que ele quer ter – externou o treinador.

No entanto, Mancini e o plantel corintiano terá pouco tempo para digerir o empate conta o São Bento, já que treina neste sábado (17) e no domingo (18), às 22h, já volta a campo, novamente pelo Paulistão, contra o Ituano, pela sexta rodada, na Neo Química Arena, último compromisso antes da estreia na Copa Sul-Americana, contra o River Plate (PAR), no estádio Defensores del Chaco, em Assunção, pela primeira rodada do Grupo E, na quinta-feira (22).

Últimas