Futebol Surpresa na Euro, República Tcheca chega às quartas com base forte em sua liga nacional

Surpresa na Euro, República Tcheca chega às quartas com base forte em sua liga nacional

Equipes da liga nacional completam a base do time da República Tcheca, com o Slavia Praga despontando como ponto forte para evolução da seleção

Lance
Lance

Lance

Lance

A República Tcheca é uma das grandes surpresas desta Eurocopa, e enfrenta a Dinamarca nas quartas de final da competição. Para chegar até tal fase na Euro, um trabalho forte na liga nacional foi levado até a seleção com jogadores e com o treinador.

Veja o mata-mata da Eurocopa

Na Eurocopa, a República Tcheca classificou-se na terceira colocação do grupo D com Inglaterra e Croácia, e fez boas partidas em todos os jogos. A vitória por 2 a 0 contra a Escócia foi o ponto inicial, e o empate com a Croácia em 1 a 1 também mostrou uma boa equipe tcheca. No confronto final da fase de grupos, contra a Inglaterra, uma derrota por 1 a 0 ainda contou com uma boa atuação da equipe que saiu sem a vitória.

O destaque da seleção tcheca, sem dúvidas, foi o atacante Patrik Schick, do Bayer Leverkusen. Foram três gols para o jogador apenas na fase de grupos. Contra a Holanda, nas oitavas de final, o goleador apareceu mais uma vez para marcar um dos gols na vitória por 2 a 0.

A eliminação da Holanda, aliás, mostrou a força que a República Tcheca pode mostrar - e está mostrando - nesta Eurocopa. O meio de campo dos tchecos segurou jogadores como de Roon, de Jong e Wijnaldum, destaques do futebol europeu, para conseguir a vitória.

Holanda x República Tcheca

Holanda x República Tcheca

Lance

Tchecos eliminaram os holandeses (Foto: Twitter/Uefa Euro)

A campanha positiva da República Tcheca, inclusive, lembra os destaques de 1996, quando o país foi vice-campeão da Eurocopa, e de 2004, quando pararam na terceira colocação. Na campanha de 2004, inclusive, os tchecos fizeram o melhor jogo da competição ao baterem a Holanda em uma vitória de virada por 3 a 2.

Ainda que a República Tcheca de hoje não tenha nomes de destaque como o time da campanha de 2004, que contava com Cech, Jankulovski, Rosicky, Nedved e Baros, um nome daquele ano ainda está lá: Jaroslav Silhavy, treinador da seleção que atual que, no época do terceiro lugar, era auxiliar de Karel Brückner.

Silhavy iniciou a sua carreira como treinador em 2007, mas o seu trabalho de maior destaque é com o Slavia Praga. O tcheco chegou à equipe em setembro 2016 e, por lá, fez 58 partidas até dezembro de 2017. A equipe foi campeã nacional na temporada, e o treinador estabeleceu um trabalho a ser repetido, a partir de 2018, na seleção

Silhavy

Silhavy

Lance

Silhavy comanda a República Tcheca (Foto: BERNADETT SZABO / POOL / AFP)

Hoje, o Slavia Praga é a equipe com mais jogadores na seleção tcheca, com um total de cinco atletas. A equipe, inclusive, venceu as últimas três edições da liga, e estabeleceu-se como um time que disputa até as grandes fases da Liga Europa. Na última edição, o clube caiu nas quartas de final para o Arsenal.

Além do Slavia Praga, equipes como o Sparta Praha, o Slovan Liberec, o Viktoria Pilsen e o Sigma Olomouc também colocam jogadores na seleção. Dos 26 convocados, dez jogam na liga nacional, o que mostra a importância da formação de um campeonato bem nivelado e com uma equipe que disputa competições continentais.

Outros jogadores do elenco também atuam em equipes que, apesar de não encabeçarem o primeiro nível do futebol europeu, atuam nas grandes ligas. O goleiro Vaclík pertence ao Sevilla, o lateral Coufal joga no West Ham, assim como o meio-campista Soucek. Schick, maior destaque da República Tcheca na Euro, rodou por Sampdoria, Roma e RB Leipzig até chegar ao Leverkusen, onde estabeleceu-se como titular nesta temporada.

Como toda surpresa, a República Tcheca empolga e gera expectativa de quem assiste aos seus jogos. Contra a Dinamarca, às 13h (de Brasília) deste sábado, o cenário não será diferente, e resta saber se os tchecos conseguiram ou não a classificação para a semifinal da Eurocopa.

Últimas