Futebol Rodolfo volta aos treinos no Fluminense após Conmebol reduzir a pena do goleiro no caso de doping

Rodolfo volta aos treinos no Fluminense após Conmebol reduzir a pena do goleiro no caso de doping

Goleiro ficou longe dos gramados por quase dois anos e voltou aos trabalhos para recuperar a forma física. Arqueiro testou positivo para benzoilecgonina em 2019

Lance
Lance

Lance

Lance

O goleiro Rodolfo está de volta ao Fluminense! O jogador retornou aos treinos após a Conmebol reduzir sua pena no caso de doping. Com isso, ele cumpriu um ano, sete meses e 20 dias de suspensão e tem contrato com o Tricolor até dezembro de 2021. Durante esse tempo, o arqueiro estava morando em Curitiba, foi reintegrado ao elenco nesta semana, e tenta recuperar a forma física no CT Carlos Castilho.

> Confira a tabela atualizada do Brasileirão 2020 e simule os resultados


Entenda o caso e a volta de Rodolfo ao Fluminense

Após um ano e sete meses de suspensão, o goleiro Rodolfo, do Fluminense, teve um recurso aceito pela Comissão Disciplinar da Conmebol no último dia 13 de janeiro. Desse modo, a entidade sul-americana voltou a reduzir a pena e liberou o jogador com base nas novas determinações da Agência Mundial Antidoping (WADA) para 2021.

Em 2019, o arqueiro testou positivo para a substância benzoilecgonina, principal metabólito da cocaína, que é proibida no regulamento de doping. O uso altera o sistema cardiovascular, com o aumento da frequência cardíaca, e também provoca um incremento das secreções salivar, gástrica e pancreática, além de intensa sudorese. Com isso, ela pode aumentar o desempenho físico de um atleta.

> Fluminense chega a 86 gols e 22 jogadores diferentes balançando a rede na temporada; veja a lista

Sete anos antes, em 2012, o goleiro já havia testado positivo no exame antidoping, quando defendia as cores do Athletico-PR, e ficou suspenso por dois anos. Com contrato até o fim de 2021, o goleiro admitiu em sua chegada ao Tricolor das Laranjeiras que é dependente químico, porém disse que estava livre das drogas desde 2014.

Cabe salientar que o jogador foi pego em maio de 2019, após a vitória do Fluminense por 4 a 1 sobre o Atlético Nacional de Medellín, da Colômbia, pela Copa Sul-Americana. Após julgamento, a Conmebol definiu a punição de três anos. No entanto, em maio de 2020, a defesa do atleta entrou com um recurso na câmara de apelação da Conmebol e conseguiu reduzir a pena em um ano.

Relembre os últimos atletas de Xerém que deixaram o Fluminense


Sendo assim, ele foi liberado para voltar aos treinos no dia 23 de março de 2021, assim como a decisão revogou a multa de US$ 20 mil e anulou a obrigação de se submeter a controles mensais de dopagem. Meses depois, em agosto, o goleiro moveu um recurso no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS).

Em dezembro, um novo julgamento não alterou o quadro e manteve a decisão da entidade. Contudo, com as novas regras da Agência Mundial Antidoping, que começaram a valer desde 1 de janeiro, a defesa de Rodolfo decidiu entrar com um recurso que foi aceito no dia 6. Vale destacar que nos próximos 21 dias ainda caberá recursos por parte do tribunal.

Por fim, o Fluminense conta com outros três jogadores para a posição. Marcos Felipe, atual titular da equipe, Muriel, reserva, e João Lopes, que vinha atuando com a equipe sub-23 no Campeonato Brasileiro de Aspirantes.

Últimas