Futebol Robson Bambu, do Corinthians, presta depoimento e nega estupro

Robson Bambu, do Corinthians, presta depoimento e nega estupro

Recém-contratado, zagueiro revela consumo de bebidas alcoólicas, mas nega que tenha abusado sexualmente da denunciante

Lance
Robson Bambu, zagueiro do Corinthians, prestou depoimento à polícia, e negou estupro

Robson Bambu, zagueiro do Corinthians, prestou depoimento à polícia, e negou estupro

Lance

Acusado de estupro na última quarta-feira (9), Robson Bambu, zagueiro do Corinthians, prestou depoimento na 5ª Delegacia Seccional – Leste, no bairro do Tatuapé, em São Paulo, a respeito de uma acusação de estupro.

A versão do jogador não bate com a da denunciante, e Bambu afirma que nem tocou na mulher que o acusa. Em seu depoimento, o zagueiro admitiu o consumo de bebidas alcoólicas, mas negou que os envolvidos no episódio (ele, seu amigo Pezinho e as mulheres) tenham ficado embriagados.

O episódio ocorreu na manhã do dia 3 de fevereiro, após o zagueiro, o amigo Pezinho e duas garotas terem ido a uma casa noturna no Tatuapé, bairro da zona leste de São Paulo. Robson Bambu afirma que chegou ao local por volta de 1h, ficou em uma mesa reservada e pagou a conta de todos que ali se sentaram.

Após a balada, os quatro foram ao hotel em que Robson Bambu estava hospedado, já que desde que retornou ao Brasil, após atuar no futebol francês, o jogador procurava um imóvel.

O depoimento de Robson Bambu e o da mulher em questão combinam em relação ao que ocorreu no primeiro momento no hotel. Por volta das 6h30, o jogador foi para um quarto com a amiga da denunciante, enquanto o amigo do zagueiro foi para outro quarto com a mulher que o acusa. Ambos revelam que tiveram relações sexuais de forma consensual.

A partir daí, os depoimentos começam a divergir. Bambu afirma que precisava ir com Pezinho assinar o contrato de locação de um apartamento e, por isso, às 10h38 e 10h44, telefonou duas vezes para o amigo, que não atendeu às ligações. Dessa forma, o zagueiro decidiu ir ao quarto onde Pezinho estava e ficou lá por dez minutos. Ele relatou à polícia que, ao entrar no local, viu a mulher coberta na cama e que parecia estar acordada, porque ela se mexia.

De acordo com o relato de Bambu, a mulher ficou nervosa ao ser informada que eram 11h. Isso porque tinha sido contratada para um trabalho naquele dia por R$ 300, e se queixou de que perderia o valor. Apesar disso, o jogador diz que só houve desentendimento entre eles no quarto onde Bambu estava com a amiga da denunciante, que ainda estava dormindo.

No quarto em que o jogador estava hospedado, a mulher teria tentado acordar a amiga jogando água nela, mas Bambu a segurou. O zagueiro relatou que, em seguida, a mulher começou a acusá-lo de estupro. Bambu negou qualquer ato de violência sexual.

Em seu depoimento, a mulher diz que estava dormindo e que acordou com o jogador deitado sobre ela, nu, tocando na vagina dela. A denunciante ainda completa que o amigo de Bambu estava observando o ocorrido. A garota relata que empurrou o atleta e foi em direção ao quarto de sua amiga.

Bambu relata que, por meio de seu amigo Pezinho, trocou mensagens com a mulher e teria perguntado se poderia fazer algo para ajudar, já que a garota havia perdido o trabalho. Segundo o jogador, a mulher o xingou e disse que, se fosse para oferecer dinheiro, teria que ser um valor alto.

O caso vai continuar em investigação pela Polícia Civil para melhor apuração, com relatos de testemunhas e coleta de provas.

O Corinthians, clube de Robson Bambu, comunicou que "não comentará o tema até que todos os fatos sejam esclarecidos mediante apuração". O clube também reforçou que "não compactua com nenhum tipo de violência".

Vice-campeonato do Palmeiras amplia jejum de títulos do Brasil no Mundial de Clubes

Últimas