Futebol Polícia identifica seis suspeitos no 'caso Cássio' e revela que filha de Willian, do Corinthians, também foi ameaçada

Polícia identifica seis suspeitos no 'caso Cássio' e revela que filha de Willian, do Corinthians, também foi ameaçada

Além do camisa 10 do Timão, o presidente Duílio Monteiro Alves também foi alvo de ameaças

Lance
Lance

Lance

Lance

A Polícia Civil de São Paulo identificou seis indivíduos responsáveis pelas ameaças feitas na última quinta-feira (7) aos jogadores Cássio, Gil e a esposa do goleiro do Corinthians. Ainda, a polícia informou que o presidente Duílio Monteiro Alves, dirigentes do clube e Willian e suas filhas também foram alvo de agressões digitais.

> GUIA CORINTHIANS - Tudo sobre o Timão no Brasileirão

Em entrevista à TV Gazeta, o delegado Cesar Saad, responsável pelo caso, detalhou o envolvimento de sete pessoas que dirigiram ameaças a Cássio e sua esposa, o zagueiro Gil, dirigentes do Timão e o próprio Duílio Monteiro Alves, presidente do alvinegro paulista. Dos sete, Cesar afirmou que seis já foram identificados e prestaram depoimento na delegacia.

- Primeiro, preciso dizer que foi um trabalho rápido da Polícia Civil. Desde que o Corinthians procurou o DOPE, a nossa unidade de inteligência já conseguiu a identificação do perfil desses torcedores, de Instagram e Twitter, que ameaçaram jogadores e dirigentes, o próprio presidente do Corinthians. Foram, no total, sete torcedores. Desses sete, seis já estão identificados. Estamos aguardando agora a resposta do último perfil que está faltando. Alguns já estão aqui prestando depoimento, todos respondendo pelo crime de ameaça - comentou o delegado da polícia.

> GALERIA - Veja todos os técnicos estrangeiros na história do Timão

Cesar Saad revelou que os agressores mandaram mensagens para as filhas do meia-atacante Willian. Em uma delas, os torcedores falam que o carro do camisa 10 seria o primeiro a ser incendiado.

- O Willian recebeu uma mensagem que dizia que ele seria o primeiro jogador do Corinthians que teria o carro incendiado. Hoje (sexta), fomos surpreendidos com uma covardia total, torcedores, criminosos, mandando mensagens para as filhas dele nas redes sociais com ameaças sobre o pai, que tinha que jogar bem, enfim, é absurdo e inaceitável a filha de alguém, um jogador ou profissional de qualquer área, receber uma mensagem como esta - disse o delegado.

> TABELA - Confira e simule os primeiros jogos do Timão no Brasileiro

Cesar também corroborou a versão de que as torcidas organizadas "Gaviões da Fiel" e "Camisa 12" colaboraram para descobrir a identidade dos agressores. Na manhã desta sexta-feira, A Gaviões emitiu uma nota onde defendeu o goleiro Cássio e disse estar ajudando as autoridades.

- As duas maiores torcidas organizadas do Corinthians estiveram aqui, Gaviões da Fiel e Camisa 12, os presidentes estão colaborando com a polícia, dizendo que as torcidas repudiam esse tipo de atitude, tanto que eles foram pessoalmente ao Centro de Treinamento conversar com os jogadores, os próprios jogadores disseram que não houve ameaças e nem tom exaltado, foi uma cobrança diante da fase que o Corinthians está passando - concluiu.

ENTENDA O CASO

Um perfil no Instagram, identificado como "$heik Caçador", mandou fotos de uma arma e balas sobre uma camisa do Corinthians, além de áudios ameaçadores ao personal trainer da esposa de Cássio, ameaçando o casal e o zagueiro Gil.

O Corinthians acionou a Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (DRADE) na tentativa de identificar o autor das agressões. Também, o goleiro prestou um Boletim de Ocorrência, e o clube soltou uma nota de repúdio condenando as ações e prestando solidariedade aos atletas e a mulher de Cássio.

PROTESTOS NO CT

Antes das ameaças direcionadas ao casal e o zagueiro Gil, o elenco do Timão recebeu torcedores organizados, insatisfeitos com o desempenho do time e atuação de alguns jogadores na manhã de quinta-feira (7). O foco foi dar força para Vítor Pereira e cobrar os atletas que não estão rendendo.

Um grupo de 14 membros da Gaviões da Fiel teve autorização para ingressar nas dependências do CT. Eles tiveram uma conversa com algumas lideranças do elenco profissional, os quais têm desagradado à torcida, como é o caso de Cássio, Fagner, Willian, Paulinho, Fábio Santos e Gil.

Além de falarem com esses atletas mais experientes, os torcedores se reuniram com o técnico Vítor Pereira, o presidente Duilio Monteiro Alves, o gerente de futebol Alessandro e o diretor de futebol Roberto de Andrade. O discurso da Gaviões foi de manifestar apoio ao treinador português e saber se há algum racha entre elenco e comissão técnica.

Antes do treino de quinta-feira, a Gaviões da Fiel emitiu uma nota através de suas redes sociais, fazendo duras cobranças ao elenco, afirmando que a 'paciência acabou'.

Últimas