Peres avalia o seu trabalho à frente do Santos e faz autocrítica: 'Não tivemos uma comunicação à altura'

Quanto aos pontos positivos, presidente do Peixe aponta transparência, profissionalização e reformas

Lance

Lance

Lance

No último ano do atual mandato como presidente do Santos, o presidente do clube, José Carlos Peres, avaliou os seus dois anos e meio à frente do Peixe.

Para o mandatário santista, questões relacionadas a transparência, profissionalização do futebol e reformaras estruturais formam os principais acertos da sua gestão.

– A gente tem um Portal da Transparência, o que não tinha, a gente criou. Mas, na auditoria, as pessoas querem se vingar com você. O que eu posso dizer que fui ético transparente o tempo todo. Montamos uma equipe técnica, profissional, não temos nada de favor. Os funcionários estão contentes com a administração – disse em entrevista à Rádio Bandeirantes.

– Se você vai na Vila Belmiro, fizemos duas grandes reformas. Estamos a ponto de lançar a pedra fundamental do novo estádio. Fizemos uma boa reforma no CT. Reformamos a Vila com pouco dinheiro, usando funcionários nossos, pedreiros, eletricistas, todos eles trabalhando – acrescentou.

Por outro lado, Peres fez uma mea-culpa e pontuou falhas de comunicação interna da diretoria, citando problemas que teve com o Ministério Público nos últimos anos, que quase fizeram com que o Santos perdesse o terreno destinado ao CT Meninos da Vila. A situação foi revertida pelo clube.

– Um erro que eu falo, é que não tivemos uma comunicação a altura. Nós perdemos o terreno do Meninos da Vila sem nenhuma dívida ou contrapartida social, depois revertemos e anexamos ao nosso patrimônio – afirmou.

Perigo de impeachment

Nessa terça-feira o Conselho Deliberativo santista se encontrará através de videoconferência em uma reunião extraordinária a fim de tratar sobre as contas reprovadas do Alvinegro Praiano em 2018, que podem culminar na abertura do pedido de impeachment de Peres.

– O que eu espero dos conselheiros é bom senso, que entenda a situação. A minha porta sempre tá aberta. Tem dúvida? Pergunta e eu explico. Mas, não fizemos nenhum negócio com ilícito notório, tanto que nesse pedido de impeachment tá lá escrito que não existe nenhum ilícito. Se pegar lá, tá dizendo que não há nada de errado à honra – disse.

– Agora, existe aquele grupo que ficam esperando dar errado e quando acham uma coisinha de errado, eles tem apertam e vêm com tudo pra cima. Acredito e Deus e na justiça – completou.

José Carlos Peres passará pelo segundo processo de impeachment desde que assumiu o Santos, em 2018. No seu primeiro ano de mandato o Conselho aprovou o pedido, que foi negado na Assembleia dos Sócios. Na ocasião, o presidente santista foi acusado de manter uma empresa agenciamento de jogadores, o que fere o estatuto do clube.