Futebol Pai de Willian celebra reencontro do filho com a Fiel e promete família em peso na Arena: 'O morro vai descer'

Pai de Willian celebra reencontro do filho com a Fiel e promete família em peso na Arena: 'O morro vai descer'

Severino Silva, também empresário do jogador, exibe empolgação com primeiro jogo do meia-atacante com presença da torcida do Corinthians no estádio nesta sua volta ao clube

Lance
Lance

Lance

Lance

Quatorze anos depois de deixar o Corinthians, Willian retornou ao clube e já disputou três partidas com a camisa alvinegra. Porém, mais do que a própria reestreia, o duelo diante do Bahia, nesta terça-feira, às 21h30, na Neo Química Arena, pelo Campeonato Brasileiro, promete ser ainda mais especial, pois marcará o reencontro do meia-atacante com a torcida corintiana, finalmente liberada para estar presente no estádio.

placeholder

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2021 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

GALERIA
> Confira as fotos da nova terceira camisa roxa do Corinthians

E uma das pessoas mais felizes com esse fato é Severino Silva, pai e empresário do jogador, que, em entrevista exclusiva ao LANCE!, prometeu comparecer ao palco do confronto para prestigiar o filho de perto e revelou nesta segunda-feira que estará acompanhado em peso por outros familiares do atleta.

- Está todo mundo ansioso, até pelo reencontro da família (com ele em um jogo no Brasil). É uma pena que é só 30% da capacidade do estádio estará liberada para a presença do público. E não será só a família do Willian, mas as famílias de vários outros jogadores do Corinthians estarão presentes e estão ansiosos também por este momento - afirmou Severino, que depois enumerou alguns parentes que irão à Neo Química Arena nesta terça-feira.

- Infelizmente não tem ingresso para todo mundo da família, mas eu posso adiantar que estarão lá a esposa do Willian, meu genro, eu, minha filha, alguns primos... O 'morro vai descer - completou o pai do atleta, exibindo bom humor ao usar uma gíria utilizada pela própria Fiel para identificar boa parte da classe social dos seus integrantes que comparecem aos estádios.

Formado desde criança pela base do Corinthians, Willian deixou o clube muito jovem, com apenas 19 anos, depois de ter estreado pelo profissional em 2006 antes de ser negociado com o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, em 2007, ano em que o clube paulista amargaria pouco depois um histórico rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro.

E ao recordar aquele ano, Severino Silva destacou ao LANCE!:

- Na época, mesmo com o Corinthians atravessando um momento difícil, o Willian lembra que a torcida nunca parou de apoiar o time nos jogos. E reencontrar os torcedores é uma grande vontade dele no momento.

O pai do atleta também lembra que seu filho chegou a se ressentir do calor humano do torcedor corintiano no início de sua trajetória no futebol europeu, quando atuou na gelada Ucrânia.

- Na época do Shakhtar, ele dizia que sentia falta da torcida do Corinthians, mas depois que foi para Londres, jogar no Chelsea, passou a falar menos disso, pois a torcida do Chelsea é fanática, que apoia como a do Corinthians - disse Severino.

CONFIANÇA NO FILHO, MAS SEM PRESSA POR GOL

Em sua primeira passagem pelo Corinthians, Willian marcou apenas dois gols, mas se destacou bastante pela sua grande habilidade e pela capacidade de distribuir assistências aos companheiros. Na Europa, com o passar do tempo, evoluiu como um jogador que também saber ser um goleador, inclusive exibindo qualidade para balançar as redes em cobranças de faltas.

Ao analisar este início de trajetória de Willian no Timão após seu retorno ao clube, o pai do meia-atacante reconheceu que o filho ainda não mostrou o melhor do seu futebol, mas exaltou que isso ocorrerá em breve.

- Ele está se entrosando com o time, e quando engrenar, vai dar tudo certo - previu.

E Severino Silva também ressaltou que não há motivo para o jogador nutrir uma grande ansiedade pelo seu primeiro gol em sua volta ao Corinthians, apesar do desejo da torcida para que isso ocorra o quanto antes for possível.

- Na realidade, essa (marcar gols) é uma cobrança do futebol brasileiro. Na Europa, isso não é assim e o Willian não é um 'homem-gol'. Ele quer marcar logo nesta volta dele, claro, mas está tranquilo em relação isso - disse Severino, que depois completou

- O Willian fez uma autoanálise e admite que ainda não tem o desempenho que gostaria, mas essa evolução vai acontecer naturalmente.

PEDIDO PARA O FILHO SER "FOMINHA"

Willian é um ótimo criador de jogadas e em sua carreira se acostumou a deixar os companheiros de time em boas condições para marcar gols, mas também possui força física, velocidade e bom repertório de dribles para ser decisivo em jogadas individuais.

E ao ser questionado pelo LANCE! sobre o que mais espera do seu filho nos próximos jogos do Corinthians, Severino Silva revelou.

- Eu cobro muito o Willian. E o que eu tenho cobrado mais dele atualmente é para ele ser mais 'fominha', para ele ir pra cima dos adversários com a habilidade que ele tem.

Ao mesmo tempo, entretanto, o pai da atleta destacou que o seu filho possui a versatilidade necessária para atender ao técnico Sylvinho em tudo que o comandante pedir para o jogador fazer.

- Eu vejo que, independentemente da posição em que o Willian atuar, ele é sempre um jogador de grupo. Primeiro vem o grupo e depois vem a individualidade - enfatizou Severino.

TÍTULO "EM BREVE"

Quando Willian confirmou seu retorno ao Parque São Jorge, após rescindir seu contrato com o Arsenal, o pai dele disse que o jogador tinha a obrigação de conquistar no mínimo um título com a camisa alvinegra, principalmente como retribuição ao fato de que o clube o formou como atleta e o lançou como profissional.

O Atlético-MG está disparado na liderança do Brasileirão, dez pontos atrás do vice-líder Palmeiras, e o Corinthians sabe que almejar o título nacional não é um sonho que hoje pode ser considerado um objetivo palpável. Porém, Severino Silva prevê que logo o seu filho levantará uma taça pelo clube.

- Com certeza, eu acredito muito que neste próximo ano ele poderá ganhar um título em breve, já a partir do primeiro semestre - projetou.

Neste Brasileirão, a possibilidade matemática de uma conquista nacional existe, mas a diferença para o líder Galo na tabela de classificação hoje é de 15 pontos (49 a 34). Sonhar, porém, não custa nada. Nem para a Willian, nem para a torcida corintiana, que nesta terça-feira já comemorará "como um troféu" o simples fato de poder voltar a apoiar o time dentro do estádio - por causa da pandemia, isso não ocorre desde 26 de fevereiro de 2020, quando o Corinthians empatou por 1 a 1 com o Santo André, em Itaquera, pelo Paulistão.

Últimas