Mudanças desde a parada e situação do adversário: como o Fluminense volta para o Carioca

Volta Redonda, primeiro adversário da competição, tem 12 jogadores profissionais no elenco, mas encaminhou a renovação com outros três

Lance

Lance

Lance

Depois de realizar a primeira bateria de exames da COVID-19 em todo o departamento de futebol, inclusive nos jogadores, o Fluminense aguarda os resultados para definir a retomada dos treinamentos presenciais. Enquanto isso, o clube mantém a queda de braço com a Ferj por conta das datas do retorno do Campeonato Carioca. A reestreia, contra o Volta Redonda, pela quarta rodada da Taça Rio, está marcada para o próximo dia 22, segunda-feira.

O Flu deve ter pelo menos a primeira leva de resultados ainda nesta semana e só então definiria os próximos passos com relação às atividades. Em novo arbitral terminado na madrugada desta quarta, o Tricolor voltou a argumentar sobre a necessidade de só entrar em campo após o dia 29 justamente para ter tempo de preparação, no entanto, o pedido não foi atendido e os rumos do Estadual podem ser definidos na Justiça.

Dentro de campo, o Fluminense é o líder na classificação geral do Campeonato Carioca com 24 pontos conquistados, dois a mais que o Flamengo, campeão da Taça Guanabara. Além disso, o Tricolor ostenta o melhor saldo de gols da competição, com 20, oito de vantagem para o rival rubro-negro.

A única mudança é a chegada do atacante Fred, reforço de peso para Odair Hellmann para o restante da temporada. O camisa 9 já está regularizado e pode atuar na Taça Rio sem restrições a partir do momento que for liberado pela comissão técnica. Entre os lesionados, Digão, Miguel e Gilberto estão liberados. O zagueiro Frazan, se recupera de uma cirurgia no joelho direito, ainda está no período de transição.

COMO ESTÁ O VOLTA REDONDA

O Volta Redonda, assim como outros pequenos, pode ter problemas com o elenco nessa volta do Campeonato Carioca com o fim de contrato de vários jogadores que tinham vínculo apenas até o fim do Estadual. O técnico Luizinho Vieira utilizou 19 atletas nesse início de temporada, isso sem contar os goleiros reservas, que não jogaram. Destes, sete não tem mais contrato. Ou seja, o Voltaço tem 12 atletas profissionais disponíveis neste momento.

No Bira, da Ferj, são 20 inscritos como profissionais e 90 amadores, que são, em maioria, da base. Do time-base de 2020, Oliveira, Heitor e Bernardo, titulares, ficaram sem contrato. Dentre os reservas, William Mineiro, com seis jogos, Marquinho três jogos, e João Victor, cinco jogos, tinham vínculo apenas até maio e não estão mais registrados.

O LANCE! apurou que, entre esses que encerram o vínculo, os zagueiros Heitor e William Mineiro, além do lateral-direito Oliveira estão acertados para renovação, faltando apenas a assinatura. Já Bernardo tem uma boa avaliação por parte do Voltaço e recebeu algumas sondagens. Clube e jogador vão conversar nos próximos dias. O volante Marquinho não permanecerá, assim como o atacante João Victor, que, por estar se recuperando de uma cirurgia no joelho, segue no clube.

Quanto ao protocolo, o clube fez a terceira bateria de exames da COVID-19 em jogadores, comissão técnica e funcionários nesta terça-feira. Foram 44 testes e nenhum novo positivo. Um atleta teve o laudo inconclusivo e vai repetir o exame, mas já está em isolamento por precaução. O grupo fez atividade física na sede e os treinamentos no campo retornarão nesta quarta-feira.