Lugano detona arbitragem e critica 'sorriso injustificável' do juiz

Flávio Roberto Mineiro Ribeiro anulou dois gols legais do São Paulo, deixou de marcar dois pênaltis e não expulsou Léo Baiano após entrada violenta em Bruno Alves

Lance

Lance

Lance

Diego Lugano, superintendente de relações institucionais do São Paulo, mal esperou o apito final do empate por 1 a 1 com o Novorizontino, nesta segunda-feira, no Morumbi, para detonar a arbitragem de Flávio Roberto Mineiro Ribeiro - o juiz de 24 anos anulou dois gols legais de Pato (com o auxílio do colega Vitor Carmona Metestaine), deixou de marcar dois pênaltis para o time da casa e não expulsou Léo Baiano após uma entrada violenta sobre Bruno Alves nos instantes finais.

"Noite de bom futebol e má 'sorte'. Anulação de dois gols MUITO legais. Fáceis de apitar. Dois pênaltis da mesma forma EVIDENTES. Passa impressão que querem o VAR - e os coleguinhas do VAR empregados", escreveu o uruguaio, em seu Twitter, lembrando que não há árbitro de vídeo na primeira fase do Paulistão.

Lugano lembrou ainda que Flávio Roberto terminou o primeiro tempo rindo mesmo após a sequência de erros, como mostraram as câmeras do Premiere.

"Mais ou menos como um zagueiro fazer 4 gols contra e botar a culpa em estar descalço, sem chuteiras. Ou um goleiro sofrer 4 frangos e culpar a ausência das luvas. Fora o sorriso INJUSTIFICÁVEL no rosto", completou o dirigente são-paulino.