Justiça penhora R$ 3,7 milhões do Timão, mas só encontra R$ 428 mil

Ação é de autoria do América-MG, que cobra uma dívida do Fluminense, assumida pelo Timão, no ato da compra do volante Richard

Corinthians, de Andrés, tem 15 dias para apresentar manifestação sobre bloqueio

Corinthians, de Andrés, tem 15 dias para apresentar manifestação sobre bloqueio

Lance

Pela terceira vez em um mês, o Corinthians sofreu uma penhora na Justiça. Desta vez, o valor total é de R$ 3,7 milhões, mas o saldo apresentado nas contas do clube foi de apenas R$ 428 mil. A ação é de autoria do América-MG, que cobra uma dívida do Fluminense, assumida pelo Timão, no ato da compra do volante Richard. 

O débito do Tricolor carioca com o Coelho é em relação à venda de Richarlison ao Watford-ING, já que uma porcentagem do valor deveria ter sido repassado aos mineiros. Quando o Corinthians adquiriu Richard junto ao Flu, também ficou responsável pelo pagamento dessa dívida, que foi acordada em R$ 2,9 milhões e deveria ter sido paga até o fim de agosto de 2019, mas não foi.

Sendo assim, o América-MG concordou em estabelecer uma nova forma de pagamento, dessa vez em três parcelas, uma em dezembro de 2019, e duas em janeiros de 2020, nos dias 5 e 31, o que novamente não foi cumprido. A inadimplência gerou juros e multas, elevando o valor a R$ 3,7 milhões. No entanto, em seis contas bancárias corintianas, só havia o total de R$ 428 mil.

Agora, o Corinthians tem 15 dias para apresentar sua manifestação sobre o bloqueio. Se não houver acordo entre os clubes após esse prazo, o dinheiro (R$ 428 mil) será liberado aos mineiros de forma automática. Como é apenas uma parte da quantia total, é possível que outras penhoras aconteçam nos próximos meses até que todo o valor devido seja transmitido ao América-MG.

Tanto o Timão quanto o Coelho se manifestaram indicando que já estariam em conversas avançadas para homologarem um novo acordo de pagamento nos próximos dias.

Recentemente, o Corinthians sofreu outros dois bloqueios judiciais: um por conta de valores devidos ao J Malucelli na venda de Jucilei ao Anzhi-RUS, em 2011, que na atualidade somam R$ 23 milhões, e serão descontados das cotas de TV do clube. O outro diz respeito a débitos trabalhistas com o volante Marcelo Mattos, que defendeu o Alvinegro na década passada. A quantia totaliza cerca de R$ 500 mil e que já foi liberada para o pagamento do atleta.

Clubes apostam no digital para minimizar impactos da pandemia