Futebol Jogadores de Ucrânia e Rússia entram em pauta no Flamengo; entenda a situação

Jogadores de Ucrânia e Rússia entram em pauta no Flamengo; entenda a situação

Enquanto monitora possíveis reforços, Fla pode abrir as portas do Ninho para jogadores que têm sido afetados pela guerra. Mas há um já conhecido porém no mercado

Lance
Lance

Lance

Lance

O Flamengo estuda abrir as portas do Ninho do Urubu a fim de receber atletas de times da Rússia e Ucrânia, que estão em guerra após invasão russa. As incertezas em relação ao futuro de jogadores têm feito o Rubro-Negro monitorar a situação de possíveis reforços. O zagueiro Pablo, do Lokomotiv Moscou, voltou a estar no radar após um pedido de Paulo Sousa, dentre outros nomes. Mas há uma limitação que "emperra" o clube no mercado.



Vale lembrar que o Flamengo está aguardando o término de um processo movido pelo Banco Central, cuja ação poderá custar R$ 127 milhões em penhora aos cofres rubro-negros - o clube está otimista na vitória com ação anulatória e espera que a multa reduza para R$ 10,6 milhões.

O presidente Rodolfo Landim já avisou ao departamento de futebol sobre a necessidade de congelar tratativas enquanto o julgamento no Superior Tribunal de Justiça (STJ) não for finalizado. Ainda não há data marcada (saiba mais aqui).

Em meio a a isso, de acordo com informações iniciais do site "Goal", o Flamengo está de olho nas situações do volante Wendel, o lateral-esquerdo Douglas e o atacante Malcom, do Zenit e nomes que agradam a comissão técnica rubro-negra. O clube russo não pretende liberá-los no momento, contudo. O lateral-direito Dodô, do Shakhtar Donetsk, também estaria em observação.

> Tem clássico no domingo! Veja a tabela do Cariocão

E não é novidade que o Flamengo já tinha outros nomes em pauta. Por exemplo, Santos, do Athletico-PR, e João Paulo, do Santos, são goleiros que interessam ao clube, na busca por um reforço no setor (exigência do Mister antes mesmo de iniciar os trabalhos), sendo que o Rubro-Negro busca contratações para todos os setores, mas o Fla, ao ser procurado, tem reforçado que não fechará negócios enquanto a questão com o Bacen não for resolvida.

Últimas