Futebol Fluminense abre vantagem, mas se complica ao tomar a virada e pode ter dado adeus às chances de título

Fluminense abre vantagem, mas se complica ao tomar a virada e pode ter dado adeus às chances de título

Tricolor começou bem, chegou a abrir 2 a 0, mas sucumbiu na etapa final com direito a 'lei do ex'. Palmeiras ainda joga na rodada e pode abrir quinze pontos restando oito partidas

Lance
Lance

Lance

Lance

Tudo parecia encaminhado para a quebra do jejum, no Antônio Accioly, mas o Fluminense conseguiu se complicar e sofrer uma virada inesperada. Com isso, o Tricolor praticamente pode ter dado adeus ao sonhado título brasileiro, visto que o Palmeiras ainda joga na rodada. O Alviverde pode abrir 15 pontos restando oito jogos para o fim do Brasileirão.

No primeiro minuto de jogo, o torcedor não teve tempo nem de piscar. A equipe carioca logo abriu o placar com o colombiano Jhon Arias, de pênalti, Apesar do Dragão ter explorado as bolas aéreas, foram os visitantes que ampliaram. Cano teve que fazer dois, pois o primeiro foi bem anulado por Anderson Daronco.

+ Confira e simule a tabela do Campeonato Brasileiro


Com a vantagem de 2 a 0, o Tricolor tirou a intensidade do jogo e abriu brechas para flertar com o azar. Mesmo que o adversário esteja na zona de rebaixamento, futebol é dinâmico e se não 'matar' o jogo, pode ser surpreendido. Quando tudo parecia tranquilo, a bola tocou no braço de Nino na área. Churín descontou, e ainda teve tempo para acertar o travessão no primeiro tempo.

Os donos da casa foram para o intervalo com a confiança elevada e evidências de que tinham condições de vencer. No início da etapa final, foi o Fluminense que enfileirou pelo menos três chances claras de gol. Daquelas que não se podem perder em momento algum, sobretudo com um jogo com o placar de 2 a 1. O roteiro para a velha máxima do futebol: "Quem não faz, leva" começava a se desenhar.

+ Nino explica pênalti em revés do Fluminense para o Atlético-GO: 'Foi determinante para o resto do jogo'


O Dragão seguia com a mesma estratégia e o caminho das pedras era realmente pelo alto. Desde o início, a defesa tricolor deu espaço para os cruzamentos. E o segundo gol surgiu de uma jogada semelhante. Quando Germán Cano, que não tem cacoete de marcador, deixou Baralha finalizar, sem chance para Fábio.

As sucessivas substituições de Diniz (colocou em campo Michel Araújo, Matheus Martins, Caio Paulista, Marrony e, no fim, Willian) não surtiram qualquer efeito. Depois do segundo gol, o Fluminense não teve mais força para vencer. E o golpe fatal saiu dos pés de um ex-atleta do clube carioca. Marlon Freitas chutou de longe, a bola desviou, enganou Fábio, e estufou a rede.

Faltou ser letal, fazer valer o estilo de jogo e se impor para sair de campo com a vitória. Afinal, quem ainda sonha com o título é o Tricolor. Para construir uma campanha sólida e almejar a taça não se pode tropeçar em jogos como esses.

+ ATUAÇÕES: Arias e Fábio se salvam em derrota do Fluminense

Diniz ressaltou que ainda há muito campeonato pela frente. Mas, é preciso salientar que o Palmeiras tem sobrado na disputa e feito uma campanha irretocável. O time das Laranjeiras terá que ser perfeito na reta final e ainda torcer por vários tropeços da consistente equipe de Abel Ferreira.

Últimas