Estudo diz que calendário brasileiro é incompatível com o futebol

De acordo com a 'Pluri Consultoria', clubes ocupam, em média, apenas 30% do calendário. Dados apontam para a necessidade de reestruturação

Futebol brasileiro vive um momento de indefinição

Futebol brasileiro vive um momento de indefinição

Lance

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o calendário do futebol brasileiro voltou a ser tema de discussão. A 'Pluri Consultoria' fez um estudo detalhando diversos erros nas datas do futebol nacional e mostrou como isso afeta todos os clubes do país, independente de tradição ou capacidade financeira.

A pesquisa aponta que existem poucos clubes profissionais no Brasil comparado a outros países. E estes clubes não conseguem ter um bom calendário, o que explica serem poucos, pois se torna inviável. Se equipes da Séries A e B sofrem com a incompatível quantidade de jogos causada pelo calendário, que as obriga a também disputar competições estaduais, a maioria dos clubes de divisões inferiores atua em menos da metade do calendário útil do futebol. Segundo a 'Pluri Consultoria', os dados são alarmantes e apontam para a necessidade urgente de reestruturação.

De acordo com o estudo, a taxa média de utilização do calendário do futebol brasileiro em 2019 foi de 30% para os 645 clubes que disputaram, ao menos, uma competição profissional na temporada. Com isso, em média, os clubes brasileiros passaram70% de seu período de atividade sem disputar uma única partida. Os estados que tiveram maior média de utilização do calendário foram São Paulo, com 41%, seguida por Rio de Janeiro e Pernambuco, cada uma com 38%. Bahia e Paraná completam a lista com 37% cada. Além disso, 18 das 27 unidades de federação tiveram taxa de utilização de calendário igual ou inferior a30%.Incluem-se nessa lista estados de tradição como Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Dados da utilização do calendário

Dados da utilização do calendário

Lance

Durante a análise, o estudo aponta que existe uma pequena elite de 44 clubes do futebol brasileiro, equivalente a 7% dos 645 clubes, formado em sua grande maioria por equipes das séries A e B, que ultrapassou a marca de 80% de utilização do calendário, patamar adequado para equipes de futebol profissional. Nesse grupo de elite há 11 equipes que disputaram mais de 65 partidas na temporada,número excessivo, que faz dos clubes brasileiros os que mais disputam partidas no mundo. Enquanto isso, 436 equipes profissionais em atividade no Brasil(68% do total) atuaram em, no máximo, 30% do calendário útil do futebol em 2019, o que significa cerca de apenas três meses de trabalho para muitos jogadores.

País do futebol? Estrelas mundiais se encantam por clubes brasileiros