Estreia do Flu marca o início da 'era Odair' e o recomeço para Ferraz

Para ambos, 2020 é o ano da afirmação. O treinador vai para o seu segundo trabalho na carreira, enquanto o zagueiro quer reconquistar o seu espaço após grave lesão no joelho

Lance

Lance

Lance

A partida deste domingo contra a Cabofriense, além de marcar a estreia do Fluminense na Taça Guanabara, primeiro turno do Campeonato Carioca, vai dar início a Era Odair Hellmann no Tricolor e também o recomeço na carreira para o zagueiro Matheus Ferraz. Ambos encaram 2020 como um divisor de águas, um ano de afirmação. A bola rola às 19h, no estádio Elcyr Resende, em Bacaxá, com tempo real no LANCE!.

O treinador de 42 anos, que nos tempos de jogador defendeu o Fluminense, retornou ao clube após 11 anos, tendo novamente a missão de fazer o Tricolor voltar para o caminho das glórias. Assim como aconteceu em 1999, quando ajudou o clube a conquistar a Série C, recolocando o time na elite do futebol brasileiro.

O trabalho iniciado no Fluminense vai ser o segundo de Odair Hellmann como técnico profissional. A passagem no Internacional foi consistente, porém sem títulos. Em 122 jogos, 65 vitórias, 28 empates e 29 derrotas, somando um vice da Copa do Brasil em 2019 e um 3º lugar no Brasileiro de 2018. Uma boa temporada vai consolidar Odair como um dos melhores treinadores de sua geração.

Já o zagueiro de 34 anos volta a jogar após sete meses e 17 dias afastado dos gramados por conta de uma grave lesão no joelho direito. No dia 2 de junho de 2019, Matheus Ferraz sofreu uma ruptura no ligamento cruzado, na derrota para o Athletico por 3 a 0, na Arena da Baixada. Após enfrentar todo o processo de recuperação, o jogador está apto para entrar em campo, buscando retomar a condição de titular absoluto, como era no ano passado.

A contusão aconteceu justamente quando o zagueiro vivia o seu melhor momento na carreira, com grandes atuações que lhe renderam o apelido de "Maldini Tricolor", dado pelos torcedores. A importância de Matheus Ferraz era tão grande, que o Fluminense renovou o contrato do jogador no ano passado, mesmo estando fora de combate. O novo vínculo tem duração até dezembro e provar o seu valor novamente é fundamental para permanecer no clube após esse período.