Entenda por que o São Paulo fez tudo pela permanência de Volpi

Tricolor havia colocado a compra definitiva do goleiro como prioridade máxima para a próxima temporada 

Goleiro permanece no Tricolor até 2023

Goleiro permanece no Tricolor até 2023

Lance

O torcedor estava aflito pelo fato de o São Paulo ainda não ter garantido a permanência de Tiago Volpi, mas na noite da última terça-feira (24), véspera de Natal, o alívio veio por meio das redes sociais são-paulinas, que anunciaram a compra definitiva do goleiro. Com a contratação efetuada, o objetivo prioritário dos dirigentes para a temporada 2020 foi atingido. Dessa forma, o LANCE! explica o porquê de tanto esforço para ficar com o camisa 23.

Leia mais: São Paulo anuncia renovação com Tiago Volpi até 2023

Desde que chegou ao clube, por empréstimo, no começo deste ano, Volpi conquistou a admiração de todos, desde o presidente Leco até os funcionários do CT da Barra Funda. A postura do arqueiro dentro e fora de campo simbolizava algo que se buscava há muito tempo e havia a certeza de que a estadia dele não poderia durar apenas 12 meses, mas sim muito mais tempo.

A noção é de que Tiago Volpi sabe exatamente o tamanho do clube em que atua, se preocupando com tudo o que envolve o dia a dia, ou seja, se porta como um legítimo são-paulino, não só um profissional do futebol. Ele não se importa em dar as cara para entrevistas nem nos piores momentos. Se o time vence, ele está lá, se o time perde, ele está lá para falar também.

Não é raro que após os jogos no Morumbi o goleiro fique um tempo enorme dando autógrafos e tirando fotos com crianças na saída do vestiário. Mais uma vez, essa atitude independe do resultado das partidas. Na visão dos dirigentes, além de isso mostrar o caráter do atleta, é mais uma prova de que ele representa o clube e sabe a diferença que esses pequenos atos podem fazer.

Volpi sabia tudo sobre as negociações para a sua permanência, inclusive as dificuldades financeiras pelas quais o clube passa. De sua parte, não havia dúvidas: o desejo era de ficar no São Paulo e fazer o que estivesse em seu alcance para isso, assim como fez para atuar por empréstimo em 2019. Recusou ofertas de outros clubes em ambos os momentos.

Para o Tricolor, Tiago Volpi representa tudo o que se busca em um atleta para vestir o manto são-paulino: liderança, seriedade, respeito pela camisa do clube, dedicação extrema nos treinamentos e personalidade forte. Nesta temporada, ele atuou em 58 dos 60 jogos oficiais do São Paulo, ficando fora contra o São Bento, no Paulistão, por opção técnica, que usou uma equipe alternativa e contra o CSA, quando a maioria do elenco já havia entrado em férias e jogadores da base foram utilizados na última rodada do Brasileirão.

Por essas e outras, o São Paulo não ecnomizou trabalho pela permanência do arqueiro, até mesmo os esforços financeiros, dentro de um orçamento apertado como será o de 2020, não foram poupados. Apesar das condições facilitadas pelo acordo fechado com o Querétaro-MEX, que permitem mais um fôlego aos cofres do clube neste fim de ano. A compra será parcelada e começará a ser paga a partir da segunda quinzena de janeiro.

Confirmado para o ano que vem, Tiago Volpi se reapresenta com o restante do elenco, após as férias, no dia 6 de janeiro, no CT da Barra Funda. No dia seguinte eles seguem para o CT de Cotia, onde devem ficar por cerca de dez dias, de olho na estreia pelo Paulistão, em 22 de janeiro, contra o Água Santa, no Morumbi, em horário ainda a ser confirmado pela FPF (Federação Paulista de Futebol).

Veja como os jogadores estão curtindo a época do Natal