Futebol Diniz espera contar com Alison e Marinho em jogo "desumano" na altitude

Diniz espera contar com Alison e Marinho em jogo "desumano" na altitude

Peixe faz jogo decisivo na Libertadores diante do The Strongest na próxima terça em La Paz

Lance
Lance

Lance

Lance

O Santos já iniciou a preparação para o duelo contra o The Strongest na próxima terça-feira, na Bolívia, pela Copa Libertadores. O técnico Fernando Diniz foi expulso na vitória sobre o Boca Juniors e cumprirá suspensão na altitude de La Paz. Em entrevista coletiva nesta quinta, o treinador falou sobre as condições de jogo fora de casa.

- É desumano jogar na altitude. Não é porque correremos que vamos sofrer, vamos sofrer de qualquer jeito. Vamos fazer de tudo para sentir menos a altitude. Movimentação constante o tempo todo. Não tem muito remédio. É tentar diminuir o efeito dessa altitude. Vamos ficar o mínimo possível na altitude. Jamais poderíamos jogar nesse tipo de altitude, não há sentido. Autoridades precisam rever. Quanto mais gente falar e indignar, existe a chance de mudar - ressaltou Fernando Diniz.

- Aproveito a oportunidade para fazer uma crítica severa. Vantagem competitiva que não deveria ter. Maior adversário é a altitude e não temos como preparar adequadamente. Temos tentado diminuir, nos planejamos há um tempo, mas mesmo assim teremos desgaste exagerado. Jogo muda completamente. Ideia é ir lá o quanto antes e não ficar muito tempo em La Paz - criticou o técnico.

O treinador ainda espera contar com Alison e Marinho, com desconfortos na coxa, para o confronto decisivo. Fernando Diniz ainda elogiou o volante e o atacante, mas deixou claro que não vai forçar os jogadores.

- Existe possibilidade de jogar, mas não é certeza. Não sou de forçar, jogadores se colocam à disposição. É rotina do meu trabalho ficar com poucos jogadores no departamento médico. Se pudermos contar, vai ser muito bom (...) Sempre tive vontade de trabalhar com o Alison, sempre admirei de jogar contra. Coragem, bravura e determinação pelo Santos e Red Bull. Tenho o privilégio de trabalhar com ele - citou o treinador, que também elogiou Marinho.

- Foi e é protagonista por ser muito bom. Não precisamos montar um protagonista. O que eu gosto no futebol vai casar com o Marinho, que teve seu auge na última temporada. Todos os times gostariam de ter, mas a gente quem conta com ele. É especial e vamos tratar de melhorar ainda mais a última temporada. Foi o principal jogador do futebol brasileiro - finalizou Diniz sobre Marinho.

Últimas