Futebol Diferentemente do Brasileirão 2020, Botafogo consegue mostrar poder de reação para construir virada

Diferentemente do Brasileirão 2020, Botafogo consegue mostrar poder de reação para construir virada

Na última edição do Brasileirão, o Alvinegro conseguiu apenas duas viradas. Agora, no começo da temporada, a equipe mostrou que pode lutar pelo resultado até o fim

Lance
Lance

Lance

Lance

A vitória do Botafogo sobre o Nova Iguaçu por 2 a 1, em partida válida pela sexta rodada do Campeonato Carioca, no último domingo, evidenciou um ponto positivo para a temporada de 2021. Após um Brasileirão, onde o time foi omisso dentro de campo, o Glorioso, embora não tenha feito um grande jogo, lutou até o fim e conseguiu arrancar a virada na base da vontade de vencer - o que pouco se viu na última temporada.

> Sócio de empresa que ajudou na contratação de CEO elogia Botafogo

Após um jogo abaixo do esperado contra o Flamengo, na quinta rodada da competição, onde o time titular do Botafogo foi completamente dominado pela base Rubro-Negra, a mudança de postura era essencial para que o Glorioso reencontrasse o caminho das vitórias. Assim, foi com essa mentalidade que o elenco do clube de General Severiano chegou ao estádio Elcyr Resende de Mendonça, em Saquarema.

- A gente tem que mudar a postura. A gente entrou um pouco abaixo (contra o Flamengo) do que estávamos apresentando. Então, temos que fazer um grande jogo hoje para voltar a vencer e voltar a confiança de todo o elenco - analisou Douglas Borges, em entrevista à Botafogo TV, na chegada ao estádio.

- Sem dúvidas, o espírito tem que ser outro. Para jogar no Botafogo, tem que ter vontade e tem que ter garra. É isso que está faltando, mas vamos mostrar isso dentro de campo. A gente tem um foco que é classificar entre os quatro. Então, esse é o jogo para que a gente dê esse passo inicial para a classificação - disse Gilvan, também em entrevista à Botafogo TV, na chegada ao estádio.

É verdade que a atuação em campo do Botafogo não foi boa e, mesmo com mais posse de bola, a equipe teve pouca qualidade para concluir as jogadas criadas. No entanto, a declaração do camisa 4 do Botafogo sintetiza o espírito que apresentado dentro de campo. A "garra" citada por Gilvan prevaleceu sobre o desempenho ruim, sobre os 23 cruzamentos errados e sobre as oito finalizações que não encontraram a direção do gol de Luis Henrique.

Não só a mudança de postura, como também o resultado na prática podem ser um alento para o torcedor botafoguense de dias melhores. Na campanha do rebaixamento do Brasileirão de 2020, o Botafogo conseguiu apenas duas viradas: no empate contra o Corinthians por 2 a 2, na oitava rodada, e na vitória contra o Coritiba por 2 a 1, na 26ª rodada. Isso deixa claro como o poder de reação do Alvinegro não aparecia nos momentos de mais dificuldade durante a última temporada.

- Tivemos uma atitude diferente do jogo contra o Flamengo. O jogo é muito emocional, quando você consegue virar o jogo desta forma, num contexto de tabela que precisávamos do resultado, isso nos dá muita confiança. Aqui é Botafogo, um clube que está acostumado a conseguir vitórias e conquistas no final - destacou o técnico Marcelo Chamusca em coletiva.

O Botafogo volta a campo na próxima quarta-feira, no estádio Giulitte Coutinho, em Edson Passos, contra o Madureira. Esta será mais uma oportunidade para o time de Chamusca mostrar que já venceu o passado, criou uma nova identidade e pode, sim, mostrar poder de reação quando a adversidade surgir.

Últimas