Diferença cambial e garantias: por que Yaya Touré desistiu do Botafogo

Meio-campista marfinense, que antes esteve perto de fechar com o Alvinegro, escolheu Leven Siano por ter contrato recebendo salário em euro

Yayá Touré em ação no Manchester City

Yayá Touré em ação no Manchester City

AFP

A sexta-feira começou com muitas ligações. Bem cedo, a conexão entre os dirigentes do Botafogo e o empresário Marcos Leite, do Rio de Janeiro, com Yaya Touré, de Londres, tentou ser estabelecida, mas sem respostas. Todas as tentativas caíam na caixa postal. Tudo para saber qual o paradeiro do meio-campista, que, outrora negociando com o Alvinegro, apareceu em um vídeo de Leven Siano, candidato do Vasco.

Marcos era o responsável por intermediar as negociações entre Yaya, da Inglaterra, e o Botafogo. Ele foi pego de surpresa com o recado do marfinense para a torcida do Vasco, assim como Leon Mann, o principal agente do atleta de 38 anos, que também estava em Londres.

Tempo depois, Ricardo Rotenberg e Carlos Augusto Montenegro, da diretoria do Botafogo, conseguiram falar com Leon Mann e a resposta foi um balde de água fria: o marfinense desistiu de negociar com o clube de General Severiano. A contratação, que antes parecia tão adiantada, teve um desfecho negativo. Ao Botafogo, a única alternativa foi fechar todas as conversas com os envolvidos.

Yaya Touré passou por cima do Glorioso e dos próprios agentes para fechar com Leven Siano. A principal diferença para o "sim" do marfinense foi o fato de que, caso o empresário seja eleito, ele vem ao Rio de Janeiro para receber em euro. No Botafogo, receberia em real.

A questão financeira pesou, principalmente, para a família de Yaya. No caso das conversas com o Botafogo, o meio-campista pediu três renegociações de valores que já estavam previamente acordados, buscando, obviamente, receber mais. O Alvinegro chegou ao próprio limite financeiro e o marfinense deu sinal verde, mas pulou do barco ao enxergar uma oportunidade de receber um salário maior - a cotação do euro, atualmente, é de R$ 6,03.

Leven Siano, por saber que corre o risco de perder a eleição, também deu garantias de imóveis próprios a Yaya Touré. O contrato também prevê multas em caso de quebra - seja de qual lado for.

A verdade é que o Botafogo perdeu a queda de braço. O Alvinegro ficou perto de um desfecho final com Yaya Touré antes do coronavírus, mas a pandemia travou o acerto. Neste meio-tempo, Leven Siano chegou e, tendo as medidas cambiais como alicerce, convenceu o jogador. Para o Glorioso, agora é seguir em frente.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Craques europeus! Veja atletas que podem reforçar clubes brasileiros