Futebol Deyverson 'regente' e provocações: a festa da torcida do Palmeiras

Deyverson 'regente' e provocações: a festa da torcida do Palmeiras

Torcida do Verdão lotou a Academia de Futebol e recepcionou os campeões da Libertadores com uma bonita festa, que durou até 5h

Lance
Festa do Palmeiras tomou a madrugada na capital paulista

Festa do Palmeiras tomou a madrugada na capital paulista

Lance

O Palmeiras conquistou o tricampeonato da Copa Libertadores ao bater o Flamengo, por 2 a 1, no sábado (27), no Estádio Centenário, em Montevidéu. A festa da torcida com o elenco alviverde em São Paulo invadiu a madrugada e contou com trio elétrico, provocações e muita alegria dos palmeirenses.

Perto de 23h30 (horário de Brasília), a delegação do Verdão deixou a capital do Uruguai rumo ao Aeroporto Internacional de Guarulhos. Por volta de 2h15, o voo aterrissou em São Paulo e muitos torcedores já esperavam o elenco alviverde. Ao deixar o aeroporto, a torcida que estava lá fez um "mini-escolta" do ônibus. No trajeto, quatro jogadores abriram a escotilha superior do ônibus e ficaram sentados, vibrando.

A essa altura, um mar de palmeirenses aguardavam ansiosos a chegada da delegação na Academia de Futebol.

Quando o ônibus chegou, por volta de 3h50, a fumaça verde e fogos de artifício tomaram conta das ruas. Os jogadores, comissão técnica, o presidente Galiotte e a futura mandatária, Leila Pereira, subiram no trio elétrico e incendiaram a festa.

Um dos que comandaram o grito com a galera foi o herói do título, Deyverson. O autor do gol decisivo na prorrogação tomou o microfone no trio elétrico e virou o mestre de cerimônias da festa. A torcida respondia com "ão, ão, ão, Deyvinho é seleção".

Jogadores do Palmeiras subiram no ônibus

Jogadores do Palmeiras subiram no ônibus

Lance

Além do camisa 9, outro atacante viveu cena curiosa na festa: Luiz Adriano. Criticado pela torcida, ele recebeu algumas vaias quando seu nome foi entoado. O atleta, no entanto, não se importou e seguiu comemorando com os companheiros.

Além das homenagens ao jogadores, a torcida provocou o Flamengo, com gritos de "cheirinho". Gabigol foi o atleta do Flamengo mais xingado na festa palmeirense.

A sinergia entre elenco e torcida tornava a celebração ainda mais bonita. Membros da torcida organizada Mancha Verde subiram no trio elétrico e impulsionaram ainda mais a festa.

Perto de 5h, os jogadores desceram do trio elétrico para um contato final com os torcedores. Depois, entraram no Centro de Treinamento e foram embora, assim como a torcida palmeirense.

Festa palmeirense fica completa com chegada de heróis do tri

Últimas