Futebol Crespo é o sexto argentino a treinar o São Paulo; Relembre os outros

Crespo é o sexto argentino a treinar o São Paulo; Relembre os outros

De passagens apagadas até treinadores históricos, os hermanos marcaram o Tricolor

Lance
Lance

Lance

Lance

Após assinar por dois anos com o São Paulo, Hernán Crespo se tornou o sexto treinador argentino da história do clube. O atual campeão da Copa Sul-Americana pelo Defensa y Justicia chega para tentar quebrar o jejum de títulos da equipe. Veja o histórico dos outros cinco "hermanos" no comando do Tricolor.


Veja a tabela e simule os jogos do Tricolor no Campeonato Brasileiro!

O primeiro argentino que treinou o São Paulo foi Tito Lopes, que assumiu a equipe em 1938, porém com uma passagem com poucos detalhes, discreta.

O segundo foi Alejandro Galan Jim Lopes, que treinou o Tricolor duas vezes. A primeira de 1953 a 1954, conquistando o Campeonato Paulista no primeiro ano em que esteve no clube. Posteriormente, em 1965, voltou a treinar o São Paulo.

Jim Lopes não foi o único argentino no Morumbi na década de 1950, uma vez que, de 1958 a 1959, Armando Federico Renganeschi comandou a equipe, mas não conseguiu levantar taças.

Depois dele, um dos maiores nomes da história do São Paulo assumiu o cargo de treinador. Jose Poy treinou a equipe em várias passagens, divididas entre 1964 e 1983.


Poy foi o último treinador estrangeiro que levantou uma taça pelo São Paulo, sendo campeão paulista de 1965. Na ocasião, o atual coordenador de futebol do São Paulo e ex-treinador, Muricy Ramalho, foi treinado por Poy.

A última vez que um argentino dirigiu o Tricolor foi em 2016, com Edgardo Bauza. O treinador teve uma boa passagem pelo São Paulo, levando a equipe à semifinal da Libertadores daquele ano, o que parecia uma realidade distante para o torcedor. Bauza deixou o comando do São Paulo para comandar a seleção argentina.

Hernán Crespo é o sexto treinador argentino no Morumbi. O ex-atacante, porém, deve assumir a equipe apenas no final desta temporada. O São Paulo ainda tem quatro partidas no Brasileirão, nas quais será comandado pelo interino Marcos Vizolli.

Além de motivos de planejamento e tempo de preparo, Crespo só iniciará na próxima temporada, também, por conta de fatores envolvendo a mudanças de pais, procura por uma residência entre outros motivos pessoais.

Últimas