Conselho do Santos rejeita parecer sobre reprovação das contas de 2018

Comissão de Inquérito e Sindicância havia indicado medidas de irresponsabilidade administrativa contra presidente, vice e membros do Comitê de Gestão santista

Lance

Lance

Lance

Em reunião extraordinária realizada virtualmente na noite desta terça-feira, o Conselho Deliberativo do Santos rejeitou o parecer da Comissão de Inquérito e Sindicância (CIS), que reprovou as contas do clube em 2018 e pontuou irresponsabilidade administrativa do presidente José Carlos Peres, do vice Orlando Rollo e membros do Comitê de Gestão. Foram 79 votos favoráveis a rejeição, contra seis de aprovação e 75 abstenções.

A CIS recomendou abertura do processo de impeachment do mandatário santista, além da suspensão do vice, Orlando Rollo, e dos membros do CG, de acordo com o tempo em que estiveram no cargo – vale ressaltar que Andrés Rueda, Hanie Issa, José Carlos de Oliveira e Urubatan Helou deixam o comitê ainda no primeiro ano da atual gestão, sendo substituídos por Anilton Perão, José Bruno Carbone, Matheus Rodrigues e Paulo Schiff.

Três integrantes do Comitê Gestor estiveram presentes na reunião: Fabio Gaia, Matheus Rodrigues e Pedro Doria, os dois últimos utilizaram-se do direito de fala para apresentarem as suas defesas.

Antes do início da votação também houve divergência de opiniões entre parte dos conselheiros e a Mesa Diretora, quanto a quantidade mínima de votos necessários para aprovação do parecer. Enquanto a presidência do Conselho Deliberativo apontou a necessidade da maioria mínima, alguns membros do egrégio pontuaram ser necessário 2/3 do CD para que indicação da CIS avançasse.


O encontro havia sido inicialmente marcado, de maneira presencial, para o dia 16 de março, mas foi suspenso às vésperas devido as medidas de isolamento social adotadas em prevenção ao novo coronavírus. Após testes, foi definido um modelo de videoconferência.

No dia 30 de junho uma nova reunião será feita no mesmo modelo, desta fez para avaliar as contas de 2019.