Futebol Botafogo faz acompanhamento psicológico dos atletas na quarentena

Botafogo faz acompanhamento psicológico dos atletas na quarentena

Paulo Ribeiro, em entrevista ao canal "BrauneFogo", contou que equipe de psicologia do Alvinegro tenta acompanhar evolução mental dos jogadores treinando à distância

Lance
Lance

Lance

Lance

O Botafogo tem uma posição definida nesta quarentena. Enquanto a situação da pandemia do coronavírus estiver piorando no Brasil e as autoridades de saúde do país não permitirem aglomerações, a ordem da diretoria do Alvinegro a jogadores e funcionários é de atividades à distância e home training.

Mais do que as sessões de treino simultâneas e com acompanhamento de todos os membros da comissão técnica por meio de um aplicativo de vídeo, o Botafogo também se preocupa com a saúde mental dos jogadores. Acostumados com viagens e rotinas dinâmicas, os atletas estão "parados". Paulo Ribeiro, psicólogo do Alvinegro, explicou o panorama.

- Precisamos nos adaptar a uma nova realidade. Nosso fisiologista, Manoel Coutinho, criou um formulário para os atletas responderem de maneira rápida, para sabermos como o atleta está se sentindo antes, durante e depois do treino. Nos reunimos para treinar por videochamada às 10 da manhã todos os dias. Isso ajuda a sabermos, mesmo de longe, como está a cabeça do atleta para mantermos o rendimento - afirmou, em entrevista ao canal "BrauneFogo".

Paulo Ribeiro - Botafogo

Paulo Ribeiro - Botafogo

Lance

Paulo Ribeiro, psicólogo do Botafogo (de azul) (Foto: Lazlo Dalfovo)

Os relatórios de saúde são importantes para medir a forma como cada jogador está reagindo aos treinamentos longe do Estádio Nilton Santos. A partir das respostas e resultados, a equipe do Botafogo possui noção se o atleta, de acordo com o próprio feedback, está aproveitando a atividade ao máximo - levando em conta, é claro, as limitações do coronavírus.

Paulo Ribeiro também lamentou a situação financeira do clube. O Glorioso deve três meses de salários a funcionários e dois aos atletas. Para ele, porém, o treinador Paulo Autuori tem ajudado o plantel para superar tais pedras no caminho.

- O ambiente com salários atrasados acaba se tornando um desafio, já que é uma realidade não só do Botafogo, mas do Brasil. E o trabalho tem que ser feito de maneira conjunta, com os dirigentes atuando também. O treinador também é muito importante. Para nós, o Autuori é um presente. Uma pessoa com um conhecimento vasto sobre tudo, experiência enorme. Dá para nós uma tranquilidade, chama a responsabilidade para o peito - completou.

Últimas