Futebol Barbieri cita 'parcela de contribuição' em títulos de 2019 e fala sobre saída do Flamengo: 'Questão política'

Barbieri cita 'parcela de contribuição' em títulos de 2019 e fala sobre saída do Flamengo: 'Questão política'

Em boa fase no Bragantino, treinador reencontrará o Rubro-Negro neste domingo, às 20h30, pela 35ª rodada do Brasileirão

Lance
Lance

Lance

Lance

O confronto com o Red Bull Bragantino neste domingo, às 20h30 (de Brasília) marcará o reencontro do Flamengo com um nome bastante conhecido pela torcida: Maurício Barbieri. Em grande fase no clube paulista, o treinador concedeu entrevista ao site "ge" e relembrou a passagem de seis meses pelo Rubro-Negro.

+ Fla na cola do Inter: confira a tabela completa do Brasileirão

Poucos conheciam o nome de Barbieri quando o treinador assumiu de forma interina o Flamengo em abril de 2018. No comando da equipe formada por Vinícius Jr., Paquetá, Everton Ribeiro e cia., ele viu o Rubro-Negro ter um ótimo início no Brasileirão e foi efetivado. Para ele, inclusive, aquele trabalho foi importante para os títulos conquistados em 2019.

- Acho que tenho parcela de contribuição, assim como outros também tiveram. É um processo. Isso não diminui o mérito do Jorge Jesus. Os méritos são todos do Jesus. Evidentemente que aquilo foi o ápice de um ciclo esportivo que se iniciou antes dele, que começou a ser desenvolvido. Ele contou com as chegadas de jogadores de alto nível que ajudaram. Mas ele pegou uma base de equipe que foi sendo construída.

+ Veja mais notícias do Flamengo

A demissão veio em setembro daquele ano. Além da queda de produção no Brasileirão após a pausa para a Copa do Mundo, a eliminação na semifinal da Copa do Brasil para o Corinthians foi determinante para a saída do treinador. Ele deixou o cargo com 58,1% de aproveitamento (39 jogos, 19 vitórias, 11 empates e nove derrotas) e com o sentimento que o desempenho em campo não justifica a saída.

- Quando saí (do clube), estávamos na briga pelo título do Brasileiro. Chegamos a liderar a competição. Faltavam 12 jogos e ainda tínhamos chances de título. Mas fomos eliminados na semifinal da Copa do Brasil. Daí teve a questão política, de fazer uma mudança, dar resposta para os sócios. Foi a decisão daquele grupo que queria brigar pela eleição. Isso teve um peso muito maior. O aproveitamento era bom. Não cheguei a ter um momento ruim na equipe. Tanto é que até hoje tenho carinho da torcida.

Confira outras respostas de Maurício Barbieri:

Projeção para o jogo deste domingo
Projeto que será um jogo difícil, complicado. A gente sabe o tamanho do desafio que é enfrentar uma equipe do tamanho do Flamengo. Mas imagino que, para quem vai estar assistindo, independente do time de coração, tem tudo para ser um bom jogo. São duas equipes que gostam de atacar, de buscar o gol adversário, buscam ter o controle do jogo. Então, tem tudo para ser um grande jogo.

Avaliação do atual time do Flamengo
A minha avaliação é que o Flamengo vem em um momento muito bom. Na minha opinião, talvez o elenco mais qualificado do Brasil no momento. Se não for, está entre as duas, três equipes que têm. Eles têm jogadores com capacidade de desequilibrar e decidir os jogos. Mas eles também têm ciencia que viemos em um bom momento e vamos buscar a vitória. Já provamos que conseguimos ser competitivos contra qualquer equipe. É o que vamos procurar fazer no domingo. Competir bastante, lutar, se entregar e buscar a vitória, que é o resultado que nos interessa.

Últimas