Futebol Após vitória, Renato exalta jogadores do Flamengo e destaca: 'Objetivo também é brigar pelo Brasileiro'

Após vitória, Renato exalta jogadores do Flamengo e destaca: 'Objetivo também é brigar pelo Brasileiro'

O treinador ainda elogiou a evolução do sistema defensivo e falou sobre Michael, autor de dois dos três gols do Flamengo na vitória sobre o Palmeiras

Lance
Lance

Lance

Lance

O técnico Renato Gaúcho ficou contente com o desempenho da equipe e com a vitória do Flamengo sobre o Palmeiras, no Allianz Parque, pela 20ª rodada do Brasileirão. Em entrevista coletiva, o treinador parabenizou o grupo e lembrou da força do Alviverde, especialmente, de acordo com ele, em São Paulo. Além disso, Renato falou sobre a perda de jogadores para as seleções e também pelo departamento médico.

> Ele chegou! Entenda como o Flamengo teve um final feliz com David Luiz

- Dar os parabéns para o grupo. Nós tivemos alguns dias sem jogos, mas, em compensação, nós tivemos muitos jogadores na Seleção, muitos jogadores entregues ao Departamento Médico. Isso dificultou bastante o nosso trabalho durante a semana. Mas eu sempre falo para o meu grupo que o importante é eles treinarem, treinarem forte para jogarem forte, porque nós temos três competições. Tem espaço para todo mundo, não tenho um time, tenho um grupo.

- Acho que, mais uma vez, o pessoal deu a resposta hoje contra um adversário muito poderoso, muito difícil de ser batido, principalmente aqui em São Paulo. Conseguimos fazer uma grande partida, conseguimos uma virada muito boa. A gente segue fazendo o nosso trabalho, seguimos na cola dos que estão na nossa frente porque o nosso objetivo também é brigar pelo Brasileiro.

> Veja a tabela do Brasileirão

O grande destaque da partida deste domingo foi Michael, que marcou dois dos três gols da vitória rubro-negra. Renato Gaúcho destacou que o atacante tem ajudado bastante e revelou que já queria levar o camisa 19 para o Grêmio, na época em que treinava o Tricolor Gaúcho.

- Procuro fazer o meu trabalho, não é só com o Michael, não, mas com todos os jogadores. Eu acho que além do trabalho na parte tática, eu gosto muito de conversar com os jogadores, gosto de dar carinho para eles, procuro lapidá-los, corrigir aquilo que eles têm feito de errado, procuro dar moral para aquilo que eles fazem de certo. É aquilo que eu sempre falo: tem pouco tempo para treinar, a cada três dias é uma decisão, mas eu procuro conversar, com pouco tempo, corrigi-los no campo e levo eles para a sala de vídeo. Procuro mostrar o que está certo, o que está de errado.

- Fico contente porque é um jogador que eu torço bastante, eu já tinha pedido ele lá no Grêmio e, agora, pude encontrá-lo no Flamengo. Tem nos ajudado bastante, tem subido bastante de produção, tem feito gols. Então, a nós temos o Gabriel (Gabigol), que é o "chatão", e ele (Michael) é o nosso "chatinho", mas o "chatinho" tem ajudado bastante.

Agora, o Flamengo vira a chave para a Copa do Brasil. O time de Renato Gaúcho volta a campo na próxima quarta-feira, às 21h30, contra o Grêmio, em partida válida pelo jogo da volta das quartas de final da Copa do Brasil. O duelo terá transmissão em tempo real do LANCE!.

Veja mais declarações de Renato Gaúcho:

VOCÊ MOSTROU SEU DVD PARA MICHAEL?

- Não está preparado ainda (risos). Mas como eu falei, ele está jogando muito bem. Eu procuro conversar bastante com ele, procuro fazer com que ele se coloque de uma maneira que, toda vez que receba as bolas, ele possa fazer as jogadas. Procuro passar muita tranquilidade para ele, principalmente próximo e dentro da área. E, nesse quesito, ele evoluiu bastante, tanto é que tem feito os gols, tem tido aquela tranquilidade que eu peço, que eu falo para eles que o desespero é sempre do adversário.

- Ele tem feito gols justamente porque está tendo a tranquilidade para fazer a melhor jogada, ou para fazer o gol ou para servir os companheiros. Você nunca vai me ver lamentando desfalque de jogadores, eu tenho um grupo e todo jogador que eu coloco em campo tem toda a minha atenção, tem toda a minha confiança. É por isso que, independente de quem entre em campo, a gente tem conseguido os resultados. Isso é fruto de trabalho de todo mundo.

MARCAÇÃO

- No pouco tempo que a gente tem, eu procuro me dedicar, principalmente, a acertar alguns detalhes. E um dos detalhes desde a minha chegada foi esse. A gente tem dois tipos de marcação, e eles entenderam muito bem o nosso trabalho. Com esse trabalho, a gente tem obtido resultados positivos. E é aquilo que eu falo: apesar do pouco tempo, eles estão muito bem. Entenderam o trabalho e, agora, é aproveitar o máximo já que a gente tem um jogo e sempre uma decisão a cada três dias. Mas no pouco tempo que a gente tem, eu procuro dar uma atenção especial, principalmente à nossa defesa, que subiu bastante de produção durante o campeonato.

COM AS LESÕES, O DIFERENCIAL PODE SER AS CONTRATAÇÕES?

- Todo jogador vai ser bem-vindo, como todo mundo é muito bem recebido de braços abertos pelo grupo. Eu tenho um grupo, quanto mais jogadores chegarem para fortalecer o nosso grupo, ótimo. Mas o grupo do Flamengo é muito bom. Acho que a maior prova tem sido nos últimos jogos. A gente tem tido bastante desfalques, e o pessoal que tem entrado tem dado conta do recado. É assim que eu gosto, é assim que precisa ser: um grupo forte. Nós temos três competições, tem espaço para todo mundo. O importante é quando o jogador é chamado, independente da posição, ele poder entrar e dar conta do recado e isso tem acontecido. Tem acontecido porque eu cobro bastante deles diariamente para que eles possam treinar forte e chegar no dia do jogo e jogarem forte. Nós temos um grupo e o grupo tem dado conta do recado.

Últimas