Após' fico', Igor Vinícius fala de aprendizado com dupla no São Paulo

Lateral-direito foi comprado pelo Tricolor junto ao Ituano e contou ao site oficial do clube a importância da convivência com Daniel Alves e Juanfran, desde que a dupla chegou

Lance

Lance

Lance

O São Paulo confirmou na última sexta-feira a contratação em definitivo, junto ao Ituano, de Igor Vinícius, que tinha contrato de empréstimo com o clube até o final deste ano e agora assinou vínculo com término em 2022. O jogador, que é tratado com grande potencial futuro, agradou durante a temporada e cresceu com a convivência com dois laterais experientes e vitoriosos no elenco, especialmente no segundo semestre, quando a dupla foi contratada.

TABELA
> Veja tabela e simulador do Paulistão-2020 clicando aqui

Após um ano de clube, Igor celebrou a oportunidade de realizar um sonho ao vestir a camisa tricolor. Ele reconhece que evoluiu ao longo do ano e que isso serviu como fator determinante para o ser comprado definitivamente. Em entrevista ao site oficial são-paulino, ele comentou o momento que vive.

​- Vestir a camisa do São Paulo foi a realização de um sonho. Acredito que cresci bastante no clube, principalmente no segundo semestre, e agarrei a chance para defender a equipe nas próximas temporadas - disse o camisa 2.

No entanto, um dos motivos pelos quais seu crescimento foi intensificado no segundo semestre foi a chegada de dois expoentes de sua posição no futebol mundial: Daniel Alves e Juanfran. Para Igor, a proximidade com a dupla foi um aprendizado diário e elogiou cada um dos companheiros.

- São dois jogadores com história no futebol, extremamente profissionais e referências. Ficamos próximos no dia a dia e tentei assimilar tudo para aproveitar esta chance. Sou fã do Dani Alves, que sempre foi uma inspiração. E o Juanfran, mesmo com a trajetória dele na Europa, tem uma simplicidade cativante - declarou.

Com o camisa 2 como titular, o São Paulo teve 79% de aproveitamento no Campeonato Brasileiro: em 13 jogos, a equipe venceu dez, empatou uma e perdeu somente duas. Ao todo, em 2019, ele fez 30 jogos pelo clube, tendo marcado seu único gol na última rodada do Brasileirão, contra o CSA, no triunfo por 2 a 1, em Maceió, quando Fernando Diniz utilizou um formação alternativa.

- Terminei o ano bem e mais confiante. Acredito que tenho evoluído cada vez mais, e o estilo de jogo do Fernando Diniz me encoraja bastante. Ele sempre deixou claro que dá oportunidade a todos, e felizmente consegui aproveitar.

Para 2020, já garantido no elenco tricolor, ele vive a expectativa de jogar a Copa Libertadores, já que em 2019 ele não foi inscrito. Na edição deste ano, o São Paulo foi eliminado pelo Talleres-ARG, ainda na fase preliminar do torneio.

- Todo atleta quer sentir este clima, principalmente no São Paulo, e quero entrar com tudo na competição. A história do São Paulo exige isso - concluiu.

O Tricolor se reapresenta no dia 6 de janeiro no CT da Barra Funda, após período de férias do elenco. No dia seguinte, a delegação segue para o CT de Cotia, onde deve passar dez dias durante a pré-temporada de olho na estreia do Paulistão no dia 22 de janeiro, contra o Água Santa, no Morumbi.