Andrés explica impacto da pandemia no sócio-torcedor e fala de Cazares

Presidente do Corinthians foi entrevistado pelo programa "Sportscenter", da ESPN e revelou queda no número de adimplentes entre os sócios e negou conversas pelo meia

Lance

Lance

Lance

Andrés Sanchez continua sua série de entrevistas durante a paralisação do futebol e atualizou a torcida do Corinthians sobre mais algumas informações dos bastidores do clube. Desta vez, em papo com o programa "Sportscenter", da ESPN, o presidente admitiu queda no número de adimplentes do plano de sócio-torcedor em decorrência da pandemia de coronavírus, que impede a realização de jogos neste momento. Além disso, negou conversas por Cazares.

A interrupção da temporada impede que os clubes possam ter acesso a uma de suas maiores fontes de receita: a bilheteria. Sem partidas para poder ir à Arena Corinthians e com a crise financeira atacando boa parte da sociedade, os alguns torcedores têm deixado de pagar sua mensalidade. No Timão, Andrés revelou que aproximadamente um quarto dos sócios estão inadimplentes.

- Impacto é grande, nós tivemos já 25% dos sócios-torcedores que já pararam de pagar, lançamos uma campanha semana passada com alguns incentivos, com algumas bonificações para continuarem pagando, mas teve essa redução de 25%. Realmente hoje isso está se tornando uma grande receita para os clubes e agora sem futebol todos vão sentir bastante - avaliou Sanchez.

O presidente corintiano também falou sobre possíveis contratações. Na última semana, o meia Cazares, do Atlético-MG, disse que gostaria de defender a camisa do Corinthians. O meia já foi alvo do Timão na última temporada, mas segundo Andrés, não é o que acontece neste momento.

- Não existe negociação (com Cazares), é um jogador que no ano passado interessou bastante, mas que neste ano ainda não foi nada conversado sobre isso. Não tem nada em andamento - contou.

E não é só Cazares que está descartado neste momento, outros nomes como Jô e Willian, do Chelsea, que foram falados nas últimas semanas estão fora dos planos do clube, segundo Andrés Sanchez, que voltou a dizer que ambos têm as portas abertas para quando quiserem retornar ao Corinthians.

- Não tem intenção nenhuma [de trazer jogadores], negociação nenhuma. Jô tem as portas sempre abertas. E o Willian idem. O Jô tem de ficar livre do time no Japão. O William é praticamente impossível. Ele joga na Premier League e tem que se sujeitar a voltar ao Brasil e a baixar o salário. E o jogador querer se sujeitar a esse tipo de coisa é difícil - concluiu.