Corinthians

Futebol Análise: Com Sylvinho, Corinthians mostra evolução, mas pouca variação

Análise: Com Sylvinho, Corinthians mostra evolução, mas pouca variação

Timão esta claramente melhor organizado em campo, desde a chegada do treinador, mas está preso em uma postura de jogo 

Lance
Lance

Lance

Lance

A evolução técnica e, principalmente, tática do Corinthians desde a chegada de Sylvinho para o comando técnico é visível, bem como alguns problemas que impedem o time de crescer ainda mais.

Falta repertório ao Timão com o seu novo treinador. Ainda que Sylvio tenha afirmado em entrevista coletiva que não possui apego a esquema tático, a sua equipe tem começado jogando sempre com um estilo semelhante e bem definido, um 4-1-4-1, que em alguns momentos alterna para um 4-2-3-1, de acordo com a fluência do jogo.

>> Baixe o novo app de resultados do LANCE!
>> Confira a tabela do Brasileirão e simule os próximos jogos

– Cada clube tem uma forma de jogar, não vou citar os nomes, tem time que é 3-5-2, 3-4-3, 4-4-2, 4-1-4-1, 4-3-3, são poucos times que tem variações de sistema, cada um constrói como quer. Não acredito que há três dias tenha feito uma boa partida conta a Chapecoense e ganho e o sistema funcione, e não ganhando do Fortaleza três dias depois tenha mudança de sistema, eu não me agarro a um sistema, desde que ele potencialize o time, os atletas, o entrono, ótimo, não há problema, mas acredito na entrega dos conceitos e ideias – explicou o treinador em entrevista virtual após a derrota por 1 a 0 para o Fortaleza. neste domingo (11), pela 11ª rodada do Brasileirão,

– Futebol é simples nesses aspectos e os atletas têm respondido bem, não acredito num sistema tático há cada semana ou 15 dias, os atletas precisam de rotina entender as distâncias em campo e dessa forma eu entendo que é o caminho mais fácil – acrescentou.

Contra o Leão, Sylvinho buscou uma variação na etapa final. Logo no intervalo, Roni e Araos entraram no lugar de Cantillo e Vitinho, mas essas alterações não mudaram definitivamente a postura do clube no jogo. O pouco que o Corinthians criou na etapa final foi em jogadas laterais e de bolas paradas e não cabendo a uma mudança de dinâmica no setor ofensivo.

Mudar a forma de cruzar não significa a alterar o modelo de jogo. Caberá a Sylvinho, que agora terá seis semanas com apenas uma partida, a treinar novos esquemas, além da própria postura dos atletas em poderes de definições, o que é mais importante para evolução efetiva da equipe.

Últimas