Lance Fenômeno Daniel Dias dá adeus às piscinas em quarto nos 50m livre

Fenômeno Daniel Dias dá adeus às piscinas em quarto nos 50m livre

Dono de 27 medalhas em Jogos Paralímpicos, sendo 14 de ouro, brasileiro realizou a última prova de sua carreira nesta quarta

Lance
  • Lance | por Lance

Daniel Dias conquistou 27 medalhas em Jogos, três delas em Tóquio

Daniel Dias conquistou 27 medalhas em Jogos, três delas em Tóquio

Lance

O brasileiro Daniel Dias se despediu das piscinas com a quarta colocação nos 50m livre (classe S5 - para atletas com comprometimentos físicos-motores) dos Jogos Paralímpicos, no Centro Aquático de Tóquio na manhã desta quarta-feira.

O multimedalhista, que já havia anunciado a aposentadoria no último mês de janeiro, encerrou a sua última prova da carreira com o tempo de 32s12. O pódio foi formado pelos chineses Tao Zheng (30s31), que bateu o recorde paralímpico, Weiyi Yuan (31s11) e Lichao Wang (31s35).

Maior medalhista paralímpico brasileiro da história, Daniel subiu 27 vezes ao pódio no megaevento. É o atleta com mais pódios na história do Brasil. Ao todo, foram 14 medalhas de ouro, sete de prata e seis de bronze. Ele disputou quatro edições dos Jogos Paralímpicos: Pequim 2008, Londres 2012, Rio 2016 e Tóquio 2021).

Somente em Londres 2012, quando foi porta-bandeira da delegação, foram seis medalhas de ouro nas seis provas individuais disputadas, o que também fez o nadador ser o principal atleta do país com maior quantidade de "pódios dourados" na história.

Relembre as principais conquistas de Daniel Dias na carreira:

- Três ouros e duas pratas no Mundial de Durban 2006;
- Quatro ouros, quatro pratas e um bronze nos Jogos Paralímpicos de Pequim 2008;
- Oito ouros e uma prata no Mundial da Holanda 2010;
- Onze ouros nos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara 2011;
- Seis ouros nos Jogos Paralímpicos de Londres 2012;
- Seis ouros e duas pratas no Mundial de Montreal 2013;
- Oito medalhas de ouro nos Jogos Parapan-Americanos Toronto 2015;
- Sete medalhas de ouro e uma de prata no Mundial de Glasgow 2015;
- Quatro medalhas de ouro, três medalhas de prata e duas de bronze nos Jogos Paralímpicos Rio 2016;
- Seis medalhas de ouro no Mundial do México em 2017;
- Ouro nos 50m livre, prata nos 100m livre e bronze nos 50m costas e 50m borboleta no Mundial de Londres 2019;
- Cinco ouros nos Jogos Parapan-Americanos Lima 2019;
- Três medalhas de bronze (100m livre S5, 200m livre S5, e revezamento 4x50m livre misto até 20 pontos) nos Jogos Paralímpicos de Tóquio).

Já nos Jogos de Tóquio, ele conquistou três medalhas de bronze (100m livre S5, 200m livre S5 e revezamento 4x50m livre misto até 20 pontos).

- Gostaria de agradecer a Deus pelo dom que me deu, por tudo que me deu no esporte. Obrigado. A palavra é gratidão. É difícil conseguir falar. Espero que muitas crianças, com deficiência ou sem, estejam vendo e assistindo. Acreditem no sonho de vocês. A deficiência não define quem somos. Gratidão é o principal sentimento agora - disse Daniel.

Além disso, o atleta, natural de Campinas (SP), conquistou 40 medalhas em seis mundiais, sendo 31 ouros, sete pratas e dois bronzes, e 33 pódios em Jogos Parapan-americanos, sendo todos de ouro.

Todos esses resultados renderam ao nadador três troféus do Prêmio Laureus, considerado o "Oscar do Esporte". Daniel é o único brasileiro a alcançar esta façanha. No mundo, apenas mais quatro esportistas masculinos conseguiram este feito.

De quebra, Daniel Dias detém ainda quatro recordes mundiais, sendo nas provas dos 100m costas (com o tempo de 01min16s24), 100m e 200m nado peito (01min32s27 e 03min21s36, respectivamente) e 100m borboleta (01min17s79).

Daniel nasceu com má-formação congênita dos membros superiores e na perna direita. Descobriu o paradesporto ao assistir pela TV ao nadador Clodoaldo Silva em uma das provas dos Jogos Paralímpicos de Atenas 2004. Daniel é o maior nadador paralímpico do mundo no número de láureas, 28 ao todo, sendo 14 de ouro.

Fora das piscinas, Daniel Dias já exerce algumas funções administrativas. Em 2014, fundou o Instituto Daniel Dias com o intuito de oferecer treinamentos de natação paralímpica às pessoas com deficiência da cidade de Bragança Paulista e região. Além disso, atua como membro do Conselho Nacional de Atletas e da Assembleia Geral do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

Quem é a superatleta dos EUA que está conquistando a Paralimpíada

Últimas